Ida de Michel Temer ao Líbano precisa de aval da Justiça; entenda

(Foto: Reprodução)

Temer foi convidado pelo Bolsonaro para liderar as ações de ajuda do Brasil ao Líbano. Preso e solto duas vezes em 2019, o ex-presidente está proibido de deixar o Brasil sem autorização da Justiça.

Em maio de 2019, ao liberá-lo da segunda prisão, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) impôs a Temer a proibição de manter contato com investigados, de se mudar ou deixar o País sem autorização, a entrega de passaportes, entre outras medidas cautelares. O ex-presidente e seu amigo coronel Lima são acusados de desvio de dinheiro em obras na usina nuclear de Angra 3, o que eles negam.

O ex-presidente concordou em estar à frente da missão do governo brasileiro e, neste domingo, 9, anunciou que aceitou o convite de Bolsonaro.

“Quando o ato for publicado no Diário Oficial serão tomadas as medidas necessárias para viabilizar a tarefa”, afirmou a assessoria de Temer.

Deixe uma resposta