Hospital erra resultados de exames da Covid-19 do Bragantino

Foto: Ari Ferreira/Red Bull Bragantino

Uma divergência nos exames para Covid-19 gerou um mal-estar entre o Bragantino, a Federação Paulista de Futebol e o hospital Albert Einstein, responsável pelos testes, nesta semana.

O hospital apresentou na terça-feira 13 resultados errados de exames feitos por integrantes do elenco e da comissão técnica do Bragantino.

Segundo informações do repórter André Hernan, o número é ainda maior: 26 pessoas, sendo 13 jogadores (sete titulares). O Bragantino solicitou à FPF uma reunião na próxima semana com o hospital para esclarecer os fatos.

Os testes feitos pelo Einstein após a partida contra o Botafogo-SP, no último domingo, deram positivo para Covid-19. O Bragantino, então, recorreu na quarta-feira a outros dois laboratórios para novos exames e recebeu resultados negativos.

Somente no fim da tarde de quinta-feira, horas antes da partida contra o Corinthians, em que o Bragantino foi derrotado por 2 a 0, os resultados dos novos exames feitos no Einstein foram entregues. Todos negativos.

O hospital Albert Einstein também será o responsável pelos exames dos jogadores que disputarão o Campeonato Brasileiro a partir do próximo dia 8 de agosto.

O Bragantino não quer se manifestar publicamente sobre o caso. O clube entende que qualquer posicionamento serviria como uma “desculpa” para a derrota para o Corinthians.

A Federação Paulista de Futebol não se pronunciará.

Leia abaixo a nota do hospital Albert Einstein:

“O Einstein recebeu amostras de secreção nasofaringea de atletas e membros da Comissão Técnica do Red Bull Bragantino para análise da presença da Sars-Cov2. As amostras tiveram resultado liberado no fim da tarde da última terça-feira, dia 28, sendo que algumas apresentaram resultado positivo.

Na quinta-feira, dia 30, o Red Bull Bragantino solicitou um novo teste destas amostras, que foram coletadas e processadas no mesmo dia. No novo processamento, estas amostras resultaram negativas.

Na análise dos processos internos, identificou-se um lote específico de reagentes importados (“primers”) com instabilidade de funcionamento, que foram provavelmente os responsáveis pelos resultados divergentes.

A fabricante, uma empresa internacional, foi imediatamente notificada sobre a ocorrência e os lotes com desempenho atípico foram retirados da rotina de exames do laboratório do Hospital Israelita Albert Einstein.”

Deixe uma resposta