Homem acusado de racismo tem esquizofrenia, diz delegado

Foto: Reprodução

O delegado Luís Henrique Apocalypse Jóia, da Polícia Civil de São Paulo (PCSP), afirmou no início da noite desta sexta-feira (7) que o pai de Mateus Abreu Almeida Prado Couto teria apresentado, segundo o boletim de ocorrência, um documento que atesta que o filho sofre de esquizofrenia.

Mateus Couto humilhou o motoboy Matheus Pires ao chamá-lo de semianalfabeto e lixo. Branco, o homem alegou também que o jovem teria inveja das casas do condomínio e da cor de pele dele. O episódio aconteceu no último dia 31 de julho, em Valinhos (SP).

“Constou-se no boletim de ocorrência que o pai teria exibido esse documento. Nós solicitaremos assim que houver a representação por parte da vítima, aí a gente vai checar ou não”, disse o delegado, em entrevista coletiva.

Segundo ele, a pena máxima é de até três anos. O boletim de ocorrência foi registrado como injúria racial.

“Depende muito do laudo médico. Se constatar que ele [Mateus Couto] não tem condição de saber exatamente o que está fazendo, há uma medida de segurança, não seria a prisão. Mas isso a gente vai verificar assim que a vítima represente”, reforçou o delegado.

Deixe uma resposta