Graças ao auxilio emergencial de 600 reais, pobreza extrema é a menor em 44 anos

Foto: Divulgação

O auxílio emergencial de R$ 600 distribuído para metade da população brasileira fez o país registrar em junho a menor taxa de pobreza extrema em 44 anos, segundo levantamento do Ibre/FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas).

De maio para junho, o número de brasileiros vivendo abaixo da linha da pobreza caiu de 8,8 milhões (4,2%) para 6,9 milhões (3,3%). Foram consideradas em situação de pobreza extrema famílias que vivem com menos de R$ 154 mensais por pessoa.

Esse é o critério usado pela ONU, que classifica como pobreza extrema a situação de pessoas com renda familiar abaixo de US$ 1,90 por dia. O Ibre atualizou esse número, considerando a inflação acumulada desde então.

A distribuição de auxílio emergencial criada pelo Congresso Nacional, influenciou na queda taxa da pobreza. A quantidade de brasileiros abaixo da linha da pobreza caiu de 50 milhões (23,8%) em maio para 46 milhões (21,7%) em junho.

Deixe uma resposta