Governo federal pede ajuda à China para compra de 30 milhões de doses da Sinopharm

Foto: Divulgação

O Ministério da Saúde enviou carta ao embaixador da China na segunda-feira (8) na qual cita o risco de a falta de doses interromper a vacinação contra a Covid-19 e, por isso, pede ajuda para “averiguar” se a farmacêutica Sinopharm tem a disponibilidade de 30 milhões de doses para fornecer ao Brasil.

A vacina da Sinopharm, batizada de BBIBP-CorV, não está entre as doses negociadas ou em sondagem já anunciadas pelo Ministério da Saúde.

Em dezembro a empresa anunciou que o imunizante tem 79,3% de eficácia.

Atualmente, o Brasil conta com outra vacina desenvolvida na China em sua campanha de vacinação contra a Covid-19: a CoronaVac, da Sinovac, que foi trazida ao país após acordo do governo de São Paulo por meio do Instituto Butantan.

A carta com o pedido de ajuda na negociação com o potencial fornecedor foi assinada pelo secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, e enviada ao embaixador Yang Wanming. 

“A campanha nacional de imunização, contudo, corre risco de ser interrompida por falta de doses, dada a escassez da oferta internacional. Por conta disso, o Ministério da Saúde vem buscando estabelecer contato com novos fornecedores, em especial a Sinopharm, cuja vacina é de comprovada eficácia contra a Covid-19” – Élcio Franco, secretário-executivo.

Atualmente, de acordo com o ministério da Saúde, a lista de fornecedores já fechados ou em negociação é a seguinte:

Vacina de Oxford – Acordo para recebimento de 112 milhões até julho. Entre elas, 4 milhões já foram entregues. Além disso, há previsão de 110 milhões de doses a partir do segundo semestre com produção 100% nacional na Fiocruz.

CoronaVac – Acordo para recebimento de 100 milhões, sendo que 15,5 milhões já foram entregues.

Covax Facility – Acordo para recebimento de 42,5 milhões de doses.

Covaxin – Acordo para recebimento de 20 milhões de doses

Sputnik – Em negociação para compra de 10 milhões de doses

Pfizer/BioNTech – Em negociação para compra de 100 milhões de doses

Janssen – Em negociação para compra de 38 milhões de doses

Moderna – Em negociação para compra de 13 milhões de doses

Se concretizadas todas as compras anunciadas ou em negociação, o Brasil teria cerca de 545 milhões de doses, o que seria suficiente para 253 milhões de pessoas.

Entretanto, o desafio do Ministério da Saúde é concluir os acordos e garantir que as entregas ocorram o mais breve possível.

Deixe uma resposta