Fundadora do PT vai votar em Aécio: “não posso me calar diante das mentiras que a Dilma vem assumindo”

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Ex-deputada federal e fundadora do PT, Sandra Starling declarou voto a Aécio Neves (PSDB) para presidente. Ela publicou um artigo denominado “Meu voto critico em Aécio é um veto ao voto a Dilma”, destacando o medo que o atual governo impôs na população se colocando acima do bem e do mal.

Starling, que já foi líder da sigla de Lula e Dilma na Câmara Federal disse que a gota d’água foi a censura sobre o IPEA e que não pode se “calar diante das mentiras que a Dilma vem assumindo” e deve cumprir o “dever de brasileira”.

Confira a íntegra do artigo de Sandra Starling publicad0 no Diário do Poder:

Meu voto crítico em Aécio é um veto ao voto a Dilma

“Sempre gostei de aprender.

E ontem aprendi com o deputado Marcelo Freixo, do PSOL, que resolveu, ao contrário de mim, dar um voto crítico em Dilma e um veto ao Aécio. Lembrei-me do tempo em que juntos lutamos (nós e o PSDB) contra o Collor e fizemos o abraço na Av. do Contorno e na campanha de vestir- se preto contra o Presidente que sofreu o impeachment.

Vou fazer o contrário do Freixo.. Quero ter a coragem de enfrentar esses 12 anos em que o PT se julgou a consciência política do Brasil e no qual fez e aconteceu como os demais, em tudo, – para , afinal, me deter na censura ao IPEA porque o IPEA, órgão do próprio governo, não demonstrou o que todos os que pelejam para entender este país já percebiam: a desigualdade social não diminuiu a ponto de ser significante do ponto de visto estatístico – logo, na lógica da Dilma Rousseff, que se parece à de Delfim Netto na ditadura, deve-se esconder os dados que não são a favor do partido que nos agrada.

Não compactuo com esse tipo de método.

Fiz uma oposição consciente e determinada ao governo de FHC, quando fui líder do PT na Câmara dos Deputados. O resto de minha história não tem a menor importância. Ia, inclusive, usar meu direito de ser “idiota”- como diziam os atenienses e deixar de votar. Mas não vou me abster.

Vou votar no Aécio, com todo o medo que ele me causa de que venha a aumentar o peso da exclusão sobre os trabalhadores, as mulheres, os homossexuais, aqueles excluídos enfim – mas não vou me calar diante das mentiras que a Dilma vem assumindo.

Qualquer que seja o resultado, para mim, terei cumprido meu dever de brasileira: arrisquei a perder ou a ganhar – para os outros que sofrem, não para mim, porque nada tenho a perder.

Bom voto a todos no domingo.”

* Sandra Starling, fundadora do PT, foi deputada federal e líder da bancada petista na Câmara.

 

Deixe uma resposta