Fernando Diniz lamenta postura do São Paulo em derrota para Mirassol

Foto: Divulgação

O técnico Fernando Diniz admitiu que o São Paulo não conseguiu voltar a jogar como vinha fazendo antes da paralisação do Campeonato Paulista, há quatro meses, causada pela pandemia de Covid-19.

O treinador entende que a equipe esteve apática nas derrotas por 3 a 2 para Bragantino, na semana passada, e Mirassol, nesta quarta, resultado que eliminou o Tricolor.

–Taticamente, jogar contra linha (de defesa) baixa sempre foi difícil. Só que a gente voltou diferente na dinâmica do time, no ritmo, saber atacar por dois lados, ter mais profundidade. Voltou um time mais fácil de ser marcado. Vamos ter de trabalhar incessantemente. Os dias em que tivemos pré-temporada tentamos dar uma carga física e técnica e faltou a parte tática. Mas esse não foi o principal problema. Jogamos com uma apatia que a gente não podia ter jogado contra Red Bull e Mirassol – afirmou Diniz.

– Não é uma coisa fácil de explicar. A gente parou de uma forma e voltou de uma forma totalmente diferente. Quase que o oposto. Era um time que tinha conexão com o torcedor, entre nós mesmos, jogo que fluía, criava muitas chances de gols, chegava fácil pelos dois lados do campo, que oferecia poucos contra-ataques, que era muito atento. A gente retomou de uma forma muito diferente daquilo que parou. A gente vai ter que trabalhar e retomar aquele momento que parou diante do Santos.

Diniz reconhece que a pressão da torcida aumentará com a eliminação no Paulistão.

– Não dá para prever a relação (com a torcida). O torcedor tem todo o direito de reagir com insatisfação e cobrar o time como tem de ser cobrado. Temos de saber suportar isso, trabalhar mais e dar resultado dentro de campo. Não tem muito o que falar agora, se justificar. Temos de trabalhar e mostrar coisas diferentes dentro de campo.

O São Paulo perdeu para um adversário que perdeu 18 jogadores, oito deles titulares.

– A gente não devia ter perdido em casa, não conseguiu fazer o que tinha que fazer. Fomos penalizados, foram três chutes no gol (do Mirassol), méritos do Mirassol. Temos que corrigir, a gente não voltou como terminou – afirmou Diniz após o jogo.

Desde que os jogos voltaram, há uma semana, o time titular do São Paulo fez duas partidas, e foi derrotado em ambas – a outra foi para o Bragantino, também por 3 a 2, também no Morumbi. Com reservas, bateu o Guarani por 3 a 1. Foram seis gols sofridos em casa.

– (A defesa) preocupa pelos gols que tomou. Nos dois jogos em que a gente sofreu três gols foram sete bolas no gol. Temos outras coisas para ver. No jogo contra o Guarani, tivemos muito mais bolas no gol e sofremos um, fizemos três e poderíamos ter feito muito mais. Neste momento, tudo preocupa. Temos de trabalhar e saber responder a isso.

Antes da paralisação, o São Paulo era considerado um dos mais fortes candidatos ao título do estadual. Diniz afirmou não estar preocupado em “ter paz” neste momento:

– Não estou preocupado em ter paz, mas em trabalhar. Tem que saber sofrer, aprender com a derrota, não ficar lamentado.

Eliminado do Paulista, o São Paulo agora se prepara para a estreia no Campeonato Brasileiro. O primeiro jogo da equipe está marcado para o dia 9 de agosto, contra o Goiás, fora de casa.

Deixe uma resposta