Família de Renan Santos, do MBL, adotou “estratégia para lucrar”, informa Receita

Foto: Divulgação

Na decisão em que determinou a prisão de dois empresários supostamente ligados ao MBL, o juiz Marco Antonio Vargas não autorizou a suspensão das atividades econômicas dos dois, solicitada pelo Ministério Público.

Segundo a Folha de São Paulo, o juiz escreveu que a pandemia exige a preservação de empregos e a viabilização de exercício de atividades laborativas lícitas.

No pedido de prisão, a Receita Federal afirma que a família do líder do MBL, Renan Santos, adotou estratégia de adquirir empresas quase falidas e não pagar impostos.

“Eles não declaram nem pagam os tributos, e com isso enriquecem com a apropriação indevida dos tributos pagos pelos consumidores finais”, diz.

Deixe uma resposta