Facilidade de organizada para invadir CT incomoda elenco do Vasco

Foto: Reprodução/Instagram

A invasão do CT por membros de uma torcida organizada incomodou alguns jogadores do Vasco. Os sentimentos têm em comum a origem: a facilidade pela qual o grupo ingressou no ambiente de trabalho de funcionários do futebol e do elenco. Os vídeos vazados mostram integrantes da agremiação caminhando tranquilamente, pela porta da frente e sem necessidade de pular os muros.

Desde o episódio, a direção vascaína tomou duas providências. Registrou Boletim de Ocorrência na 41ª Delegacia da Polícia Civil e afastou três funcionários que davam expediente na manhã desta quinta-feira – um responsável pela portaria e dois seguranças.

O trio não trabalhará mais no local. Existe a possibilidade de passar a trabalhar no CT da base, em Duque de Caxias. A demissão foi cogitada, porém, não efetivada. Pelo menos por ora.

O técnico Ricardo Sá Pinto também se surpreendeu com o episódio. O português já havia passado por situações de cobranças de torcedores na Grécia, onde treinou o Creta, e no Sporting, em Lisboa, como treinador e jogador. No entanto, foi a primeira vez que vivenciou uma invasão ao CT. O português, no entanto, não se intimidou e tomou a frente nas conversas. Ele saiu em defesa de seus jogadores.

Ao avaliar o ocorrido, o Vasco identificou que houve falha na segurança especialmente no que diz respeito ao patrulhamento da via. E, por isso, afastou o trio. Ao averiguar o que ocorreu, o clube chegou à conclusão de que um dos invasores pulou o muro e, antes de ser detido por seguranças, abriu o portão para acesso do restante do grupo. Os manifestantes chegaram ao local em dois carros e uma moto.

Deixe uma resposta