Ex-apresentadora infantil, Mariane relança disco após 30 anos

Ex-apresentadora infantil, Mariane começou sua carreira como apresentadora, no SBT, onde comandou dois programas para os bambinos, como ela chamava as crianças que assistiam aos seus programas. No ano de 1990, seguindo a onda das apresentadoras infantis da época, Mariane lançou seu primeiro disco, em vinil e K7, voltado para os pequenos. O álbum “Ciranda” chegou a vender 100 mil cópias e se tornou um disco muito marcante para a geração.

Três décadas se passaram e a lembrança dessas crianças, que hoje são adultos e muitos já casados e com filhos, continua marcante. Para brindar os 30 anos desse álbum, Mariane acaba de assinar contrato com a gravadora SPPIN Music e vai lançar no mês de outubro, o disco “Ciranda”, inédito em formato CD.

Para a artista, esse é um momento muito especial. “Eu não tinha noção do quão importante o disco “Ciranda” se tornou na vida dos meus fãs. Eu tenho 32 anos de carreira como cantora e essa lembrança afetiva fez com que eu atendesse aos pedidos de quem sempre curtiu meu trabalho, para lançar esse álbum em CD. Mesmo sendo um disco existente no mercado fonográfico, esse lançamento, inédito em mídia CD, me trouxe um sentimento de estreia. Uma sensação linda que não consigo explicar”, disse Mariane.

Para essa edição limitada do disco em CD, várias novidades estão sendo preparadas para “mimar” os fãs. Além das 12 músicas já conhecidas, incluindo a própria “Ciranda” e “Nem Tudo que reluz é ouro”, que foram temas da novela infantil ‘Carrossel’ (SBT), o disco ainda vai ter três faixas bônus em instrumental, para o fã cantar em karaokê. Uma outra novidade, que deixou os seguidores da cantora enlouquecidos, será um encarte especial com fotos dos fãs segurando o LP Vinil lançado nos anos 90.

Para Daniel Moreira da Silva, diretor da SPPIN Music, esse lançamento foi muito pedido por fãs da Mariane, através das redes sociais da gravadora. “Estamos felizes com a chegada da Mariane a SPPIN e com essa possibilidade de promovermos o saudosismo. Isso prova que as pessoas gostam de música e fazem questão de ter em casa a mídia física, para colocar no aparelho de som e escutar”, diz Daniel.

Deixe uma resposta