Estudos revelam necessidade real por vagas em creches no Sudeste

Nesta terça, 25 de agosto, a Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal lança o documento Desafios do acesso à creche no Brasil – Subsídios para o debate. A partir das 14h, durante webinar especial, serão apresentados os resultados de estudos que revelam a necessidade real de vagas na região Sudeste do país – e de todos os demais estados nacionais. O lançamento pode apoiar o Congresso Nacional na definição sobre a destinação dos recursos do Fundeb para garantir a ampliação do número de vagas em creche e o aumento da qualidade do atendimento.

As eleições municipais são oportunidade para colocar a discussão sobre a ampliação da oferta de creches no centro do debate de políticas públicas municipais. Além disso, as consequências econômicas da pandemia de Covid-19 que, por um lado, levaram ao fechamento de inúmeras escolas de educação infantil privadas e, por outro, à queda de renda de famílias que até então não usavam a rede pública, devem aumentar a demanda por vagas em creche pública no próximo ano – que hoje já é insuficiente.

O primeiro estudo a ser apresentado no webinar desta terça, 25, “Expansão de vagas em creches no Brasil”, traz as diferenças do crescimento de matrículas e vagas em creche no intervalo de 2009 a 2018 em cada região e UF do país. O avanço ainda não foi suficiente para atender à demanda, sobretudo das populações mais vulneráveis, conforme mostra o estudo.

Novo índice, foco do segundo estudo, mostra que demanda real de capitais como Salvador, Maceió, São Paulo, Recife e Manaus é bem maior do que o previsto na Meta 1 do Plano Nacional de Educação (PNE), enquanto a necessidade de cidades como Porto Velho, Teresina, Goiânia e Cuiabá é menor do que o previsto na meta. O índice pode aproximar políticas públicas da realidade de cada região, o que aumenta a eficácia dos investimentos.

Deixe uma resposta