Namoro é para sempre?

O dia dos namorados está aí! E pra quem não sabe, essa data foi criada em 1949 pelo publicitário paulista João Doria com a intenção de aumentar as vendas no mês de Junho. E o que acontece nesse dia todo mundo já conhece, filas, lojas cheias, shoppings lotados, restaurantes, parques…

Hoje são raros, porém, ainda existem casais que dedicam a vida um ao outro.

Pensando em tudo isso, resolvi fazer algo diferente. Desta vez, ao invés de conversar com um casal de namorados, conversei com duas pessoas que já passaram por muitas histórias nesse dia maluco, se é que podemos dizer assim.

Eles são casados há 22 anos, namoraram durante 4 anos, tiveram duas filhas e se consideram realizados. Vitória Morais, 42 , professora e Antonio Carlos, 48, comerciário, compartilham o que sentem nesse dia, como lidam depois de casados e dão dicas de como segurar a barra e fazer com que o namoro nunca tenha fim. Confira:

Qual foi o dia dos namorados mais marcante na vida de vocês?

É difícil escolher um deles, já faz muito tempo (risos). Nós trabalhávamos e estudávamos e nem sempre ficávamos juntos no dia, a gente lembrava e se encontrava para dar um presente ou cartão, mas saíamos para jantar ou passear no domingo (que geralmente era o dia em que ficávamos de folga. Eu (Vitória), sempre ficava ansiosa porque era um dia diferente, ele (Antonio) sempre fazia surpresas e vinha com a sua melhor roupa.

Qual a diferença que você observa entre os casais atualmente em relação a forma que vocês lidavam com essa data no período em que namoravam?

Ah, acho que hoje não comemoram mais o dia dos namorados, deveria se chamar DIA DO PRESENTE. Antes para a gente, era um dia especial. Agora a própria sociedade cobra, os próprios amigos perguntam o que você vai dar ou ganhar, acho que as coisas perderam o sentido.

Qual a diferença entre namoro e casamento?

O namoro é uma constante conquista, sabe? É querer sempre impressionar. As vezes a gente até vê defeitos no outro, mas imaginamos que a pessoa vai mudar principalmente quando casar. São momentos de muitos abraços e beijos. É tanta coisa. A gente quer contar estrelas, correr de mãos dadas, tomar sorvete e se sujar é engraçado, jogar pipoca na cara do outro é um momento divertido, é sonhar com tantas coisas… No casamento o namoro não acaba, mas mudam os sonhos. No lugar das estrelas contamos o dinheiro (risos) e quanto se tem filhos, é querer conquistar tudo para eles. Os beijos e abraços diminuem, mas a junção do corpo e da alma é mais forte. É dizer eu te amo com muita clareza e segurança.

Acham que é possível namorar para sempre?

Sim, a gente ainda namora (risos), a diferença é que depois de casados tanto tempo, as inseguranças são diferentes, o ciúme precisa ser concreto, o medo de perder não é tanto “perder para outra pessoa”, o medo de perder agora, se resume em perder o parceiro para uma doença ou algo pior que possa vir a acontecer. Quando um de nós fica doente a preocupação é muito maior.

 Vocês acham que mesmo depois de casados é legal comemorar o dia dos namorados? Nesse dia, vocês costumam fazer algo diferente?

Ah a gente gosta e lembra, mas geralmente não saímos, até porque é muito estressante (risos), os shoppings estão sempre lotados, sair pra comer é uma loucura e motel nunca tem vaga para curtirmos a noite (risos). E quanto a presentes, a gente sempre troca presentes, mas a data já não é uma cobrança. Não queremos ser escravos do comércio.

Qual a dica que vocês dariam para as pessoas que começaram a namorar a pouco tempo?

Acho que o mais importante é dar liberdade para o outro ser feliz, respeitar acima de tudo e conversar sempre, o segredo é conversar, não da pra adiar, porque os problemas viram uma bola de neve e isso prejudica na maioria das vezes. Sobre o dia dos namorados, essa nova geração precisa enxergar mais o outro independente do que ela tem a oferecer de forma material, no dia dos namorados, o mais importante é o momento que eles estarão juntos, as vezes o dia mais bobo e a brincadeira mais simples é que o torna inesquecível. É importante ter orgulho de ter sido escolhido (a) pelo seu parceiro entre tantas outras pessoas. Desejamos muito amor e sabedoria para quem está começando!

Bárbara Saryne – BDI

@BabySaryne

barbarasaryne@bastidoresdainformacao.com.br