Especial da Band mostra verdadeira Hebe Camargo e profecia de Clodovil

Reprodução/TV Bandeirantes

A Bandeirantes lançou uma opção interessante para quem não curte o Show da Virada – da Rede Globo – durante a passagem de ano. A emissora vai exibir, nesta quinta-feira, 31, às 22h45, o Especial Hebe na Band, atração que promete reproduzir momentos únicos e especiais da apresentadora durante a passagem pela empresa, entre os anos de 1979 e 1986, quando iniciou sua jornada de 25 anos no SBT.

O compilado de programas da Hebe mostra, dentre outras participações, entrevistas com Dercy Gonçalves, Ney Matogrosso, José Vasconcellos, Bibi Ferreira, Ivan Lins, Mazzaropi, Chico Xavier, Faustão e Clodovil, que fez uma profecia, ainda nos anos 80, quando falava sobre a crescente da Aids, vírus que apavorava o mundo naquele momento. “Literalmente todo Brasil sabe que sou homossexual e nunca tive problema com isso. Essa história me assusta. Nós somos um poço de doença e o mundo está tão nojento que vai aparecer muito mais doenças do que essa. Tenho certeza absoluta. As culpas cabem a todo mundo, porque nós estamos deteriorando o mundo. Tem droga vendendo mais do que petróleo. As pessoas morrem de desamor”, declarou Clodovil ao programa de Hebe na ocasião.

O diretor do especial sobre Hebe é James Ackel que, ainda nos anos 50, foi o mais jovem apresentador infantil masculino, comandando o programa “Sessão Zás-Trás, na TV Paulista, hoje TV Globo. James conta que a atração foi a “mais econômica da história da Band”. Ao Bastidores da Informação, ele contou detalhes da produção. “Foram dois dias de ensaio e um de gravação. Ao invés de levar 15 técnicos para gravar, levei apenas dois. A TV tem que entender que, no ano de 2021, precisa criar coisas de baixo custo. Os anunciantes estão querendo pagar menos e em TV aberta o que vale é emoção e entretenimento. Se cenário caro desse ibope, os marceneiros seriam os maiores salários da TV”, afirmou Ackel.

A ideia do programa é mostrar Hebe levando informação e entretenimento à família. Ou seja, o que ela mais gostava de fazer. Não há retratos de brigas de bastidores ou polêmicas da vida pessoal. “As donas de casa vão reviver uma Hebe de verdade e não aquilo que a TV Globo mostrou. O que importa é que vamos dar um presente de Réveillon às pessoas de casa que teriam a Hebe de verdade na noite do dia 31. Hebe foi a maior apresentadora que o país teve e a rainha de seu tempo”, completa o diretor.

O nome escolhido para a apresentação do especial foi Ronnie Von que, gentilmente, cedeu sua casa para as gravações do programa. “A escolha do Ronnie Von para apresentar teve a razão dele ser amigo da Hebe e todos os artistas que aparecem”, finalizou Ackel.

Durante o programa, Ronnie não só apresenta momentos de Hebe na Bandeirantes como também conta causos relacionados à apresentadora. Em um deles, cita uma briga que deixou os amigos afastados durante um período. “A Hebe, por uma fofoca, ficou zangada comigo. Durante muito tempo não me atendia o telefone, não nos falávamos e eu não sabia o porquê, até que um dia, dentro dessa minha dor contida de ter perdido meu melhor amigo, nossos carros se emparelharam numa avenida em São Paulo. Ela olhou pra mim, mandou que eu abaixasse o vidro, virou para o lado e disse “eu amo você. Acabou briga, acabou tudo”, disse Ronnie, emocionado.

“Quero convidar a você para brindar aos 70 anos da TV brasileira e à nossa homenagem a Hebe Camargo, a maior apresentadora de TV brasileira. Hebe foi na verdade meu melhor amigo, e eu cansei de contar a ela”, concluiu o apresentador.

Deixe uma resposta