Empresário cobra São Paulo na Justiça por empréstimo milionário para comprar ex-jogador do Flamengo

Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net

O empresário Carlos Leite acionou o São Paulo na Justiça para cobrar uma dívida de R$ 5,5 milhões. De acordo com o processo, Leite emprestou R$ 11 milhões ao clube em abril de 2018.

O motivo é um empréstimo feito para o São Paulo comprar Everton, no Flamengo, por R$ 15 milhões, valor da multa rescisória. O acordo entre clube e empresário foi fechado no dia 16 de abril, e o jogador foi anunciado um dia depois.

O São Paulo deveria pagar R$ 4 milhões a Carlos Leite até o final de agosto daquele ano, além de 30 parcelas de R$ 233 mil entre junho de 2018 e novembro de 2020. O empresário alega, porém, que o clube só pagou os R$ 4 milhões e as primeiras 14 parcelas. O empresário cobra o valor total restante do empréstimo, é de R$ 5.579.443,23.

Havia um acordo entre as partes de que o São Paulo seria obrigado a usar eventual dinheiro de venda do zagueiro Rodrigo Caio para quitar a dívida.

Se a transferência de Rodrigo Caio fosse feita acima de 12 milhões de euros, o Tricolor teria de pagar toda a dívida restante com Carlos Leite. No caso de uma eventual saída por valores entre 10 milhões de euros e 12 milhões de euros, o São Paulo teria de quitar metade da dívida restante.

Neste acordo, o São Paulo se resguarda ao afirmar que o empresário não terá direito a receitas da venda do zagueiro, o que contrariaria regulamento da Fifa que proíbe participação de terceiros nos direitos econômicos de jogadores.

Carlos Leite era agente de Rodrigo Caio na época do empréstimo, em abril de 2018.

Deixe uma resposta