Em nota, Portuguesa se defende “de boatos” e aguarda depoimento de Manuel da Lupa

07-08-14_-_akira_-_heverton_02_1
(Foto: Akira Onuma/O Liberal)

A Portuguesa emitiu, nesta quarta-feira, um comunicado a respeito das investigações do Ministério Público que apontam que dirigentes do clube receberam dinheiro para que o atacante Héverton, suspenso, atuasse de forma irregular no Campeonato Brasileiro de 2013 – episódio que levou à punição e rebaixamento da Lusa no STJD.

O clube diz que não pretende se manifestar sobre as declarações do promotor Roberto Senise, que chefia a investigação, para não atrapalhar a apuração ainda em andamento. Além disso, classifica como “boatos” e chama de “sensacionalistas” as notícias publicadas recentemente.

Veja abaixo a íntegra da nota oficial da Portuguesa:

Nos últimos dias, nosso clube ganhou destaque na mídia através da veiculação de notícias relacionadas ao “Caso Héverton”, a respeito das investigações EM ANDAMENTO do Ministério Público e das declarações do promotor Roberto Senise, onde dirigentes da gestão anterior são responsabilizados pelo ato e ou foram beneficiados, já que segundo as declarações do promotor, alguns membros da diretoria anterior sabiam que o meia Héverton estava suspenso e o escalaram de forma premeditada.

Através deste comunicado, a diretoria da Associação Portuguesa de Desportos, neste momento, se reserva a não comentar sobre as palavras do promotor Roberto Senise, a fim de não prejudicar as investigações do “Caso Héverton” que ainda não foram concluídas e seguem em ritmo acelerado visando o esclarecimento dos fatos.

Além dos fatos que estão sendo apurados pelo MP, existem muitos boatos e até notícias sensacionalistas que tentam expor as investigações do Ministério Público de maneira infundada e inverossímil. Por isto neste momento, solicitamos a colaboração da imprensa, precaução e responsabilidade na divulgação das informações a fim de não denegrir ainda mais a imagem do nosso clube, já tão desgastada diante de tais acontecimentos.

A Gestão do senhor Ilídio Lico, assim como todos os órgãos competentes do clube, estão imbuídos e comprometidos em prol dos esclarecimentos dos fatos. Nosso principal objetivo é identificar e responsabilizar os envolvidos neste episódio lamentável, que tanto prejudicou nosso clube e que em nada se beneficiou.

Informamos também que a Comissão de Ética do Conselho Deliberativo da Associação Portuguesa de Desportos, espera ouvir o depoimento do ex-presidente Dr. Manuel da Conceição Ferreira (Manuel da Lupa) nos próximos dias, que é a última pessoa a ser ouvida pelo comitê. A morosidade no processo, é devido à falta de colaboração e incontáveis justificativas do ex-presidente para não comparecer ao seu depoimento.

De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo, Dr. Marco Antônio Teixeira Duarte, o próximo passo da Comissão de Ética é sugerir 3 datas, para que o Dr. Manuel da Conceição Ferreira defina entre elas qual o dia que irá se fazer presente e ouvido pelo Comitê, a fim de que o mesmo possa finalizar a investigação interna. Caso o ex-presidente se omita novamente, o Conselho tomará as providências para que a Comissão exponha os fatos e encaminhe o caso para apreciação do Conselho, que irá concluir o processo e colocar em votação possíveis punições aos envolvidos no “Caso Héverton”.

Agradecemos o apoio da imprensa na apuração dos fatos. A diretoria da Portuguesa continua à disposição do MP e dos órgãos competentes para que juntos possamos solucionar este triste episódio do futebol brasileiro.
Atenciosamente,

Luiz Teixeira G. Filho
Vice-presidente de Comunicações

Deixe uma resposta