“Ela me chamou de burra na frente da sala inteira”, revela Naiara Azevedo no Programa Eliana deste domingo

Crédito:Divulgação/SBT

No programa Eliana do próximo domingo, 17 de setembro, a partir das 15h, Patricia Abravanel recebe no palco Naiara Azevedo. O programa mostra a história de vida de Naiara que, ainda menina, saiu da casa dos pais na roça, na cidade de Farol no interior do Paraná, para conquistar o Brasil inteiro com a música “50 reais”. A cantora que se apresentou pela primeira vez na TV em rede nacional no programa Eliana, no quadro “Famosos da Internet”, faz revelações inéditas de sua luta pelo sucesso, dos sonhos de sair da roça e alcançar a fama, dos empréstimos que fez para conseguir divulgar seu trabalho, do preconceito com seu peso, das dificuldades de conseguir um espaço entre os sertanejos por ser mulher e muito mais.
Confira algumas frases de Naiara Azevedo durante a entrevista:

“ Eu sempre digo as pessoas para nunca desistirem do sonho delas”, sobre ter conseguido sucesso na carreira.
“ Eu era muito arteira. Eu era pior que moleque”, sobre como era na infância.
“ Eu consegui, eu sonhei com isso todos os dias. Quando vinha o entardecer, eu ia naquele campinho de bola e olhava pra aquele asfalto, eu olhava para os sítios ao redor e eu falava, eu amo este lugar, mas este lugar não é o meu lugar. Eu não posso ficar aqui. Eu preciso ir além”, sobre o que pensava, quando criança, na casa onde morava.
“ As coisas de valor não tem valor. O que tem valor mesmo é o que a gente sente”, sobre a situação financeira antes e depois do sucesso.
“ Ela me chamou de burra na frente da sala inteira”, sobre quando uma professora chamou ela de burra na sala de aula.
“Um dia professora, essa menina que você disse que é burra, você ainda vai ouvir muito falar dela viu”, a resposta que deu para a professora e saiu da sala.
“Professores não façam isso com os alunos. Nunca diga que um aluno é burro, porque machuca “.
“ Eu acredito que tudo na minha vida é um grande milagre de Deus. Tudo eu devo a Ele”, sobre sua Fé e suas conquistas.
“ Esse DVD que eu gravei, o DVD dos 50 reais, eu não tinha nem um real para gravar ele”, sobre a luta para conseguir dinheiro para gravar seu primeiro DVD.

Deixe uma resposta