Diniz lamenta eliminação do Santos na Sul-Americana

Foto: Staff Images / CONMEBOL

Para o treinador do Santos, Fernando Diniz, o time deixa a Copa Sul-Americana com a sensação de que poderia ir mais longe. A derrota para o Libertad por 1 a 0, nesta quinta-feira, no estádio Defensores del Chaco, em Assunção, no Paraguai, sacramentou a eliminação do Peixe na competição.

– Poderíamos ir mais longe. Fizemos duas partidas em casa muito boas, e duas partidas fora de casa muito ruins – lamentou o técnico.

Diniz criticou, a forma de atuar da equipe no primeiro tempo. Além de sofrer o gol em um lance de bola parada, o Alvinegro não conseguiu finalizar uma vez sequer em direção ao gol de Martín Silva nos 45 minutos iniciais.

– Deu tudo errado. No primeiro tempo fomos um time diferente do que a gente produz, sem agressividade, sem profundidade, com baixa movimentação de movimento, de troca de passe. E quando joga assim contra um time que marca bem, você corre o risco de não conseguir finalizar. Eu assumo a responsabilidade, porque quando o time inteiro não anda é porque o treinador fez algo errado. O time não produziu no primeiro tempo – comentou o treinador.

Diniz também negou que saída de Carlos Sánchez tenha afetado o rendimento do Santos em campo. Fernando Diniz explicou que enxergou a necessidade de fazer a alteração naquele momento. O uruguaio deu lugar ao jovem Ângelo.

– Eu não acho que o rendimento caiu porque ele saiu. Achei que precisava mudar, e mudei. Não vejo que caiu só porque o Sánchez caiu. Ele é muito qualificado, mas no momento achei que tinha que trocar. E o Ângelo entrou na que ele entrou melhor, conseguiu achar uns cruzamentos, que era o que ele tinha que tentar jogando no lado direito – avaliou o técnico.

Deixe uma resposta