Devido à crise financeira, torcida organizada protesta na sede do Corinthians

Nesta sexta-feira, torcedores organizados  do Corinthians foram ao Parque São Jorge protestar contra a diretoria alvinegra.

Cerca de 30 pessoas se concentraram em frente à sede do clube e cobraram, em faixas, melhor administração. Eles disseram que não representam nenhum grupo político e também mandaram recados contra a oposição. Policiais militares acompanharam a manifestação, que foi realizada de forma pacífica.

Para evitar aglomerações durante a pandemia de Covid-19, o protesto não foi divulgado aos membros das torcidas, ficando restrito a algumas lideranças das organizadas.

Na quinta-feira, os muros da sede social já haviam amanhecido com pichações contra o presidente Andrés Sanchez. Em nota, o clube atribuiu o ato a “milicianos” e “patifes”.

O Timão enfrenta grave financeira. O clube deve dois meses de salários ao elenco e tem sofrido seguidas ações de cobrança na Justiça. Na última quarta-feira, foram penhorados R$ 23 milhões que o Corinthians tem a receber por direitos de transmissão.

O último balanço financeiro divulgado, referente ao fim de 2019, aponta que a dívida alvinegra é de R$ 665 milhões. Deste montante, R$ 110 milhões são referentes só a Imposto de Renda e Fundo de Garantia (FGTS) e quase R$ 50 milhões são de direitos de imagem a jogadores.

– Estamos cansados de ser iludidos, estamos fazendo protesto para falar da situação e da oposição, para nós é tudo a mesma coisa […] A gente pede transparência e que o próximo presidente fale a verdade para a torcida. Não estamos atrás de títulos, queremos só que as contas do clube sejam pagas. Se você faz um trabalho que não tem uma base, não tem uma administração boa, acontece o que está acontecendo, todo dia notícia ruim, o time devendo para todo mundo – afirmou Rodrigo Gonzalez Tapia, presidente da Gaviões da Fiel.

Deixe uma resposta