Delegado Olim critica decisão que concedeu prisão domiciliar a Mizael Bispo

Foto: Alesp

Em entrevista a José Luiz Datena na Rádio Bandeirantes, o delegado Olim, responsável pela prisão de Mizael Bispo, lamentou a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que concedeu ao homem condenado pela morte de Mércia Nakashima, em 2010, o direito à prisão domiciliar.

“A verdade é uma só: igual a esse tem vários. Às vezes o delegado faz os casos grandes chegarem lá e o cara sai na audiência de custódia. Esse homicida… o quanto ele fugiu, o quanto foi difícil provar ele na cena do crime. Fizemos uma investigação maravilhosa com as perícias. Será que essa pessoa que soltou ele não tem filha? Não passou por nada parecido? Mas o Mizael Bispo não fez nada demais, né? Só deu dois tiros e a jogou na água gelada de Nazaré. O corpo ficou 15 dias para a gente achar. Nada demais. Só isso”, disse Olim, em tom irônico, à Rádio Bandeirantes.

“Agora ele está na rua. Isso é um absurdo. Eu passei 62 dias nesse caso, fora o tempo para buscar ele depois quando fugiu. As pessoas fazem o que querem hoje. É só ter dinheiro e um advogado bom que vai para rua”, completou o delegado.

O STJ concedeu o direito à prisão domiciliar a Mizael após sua defesa alegar que ele corria risco de contrair a Covid-19 na prisão. De acordo com os advogados, ele faz parte do grupo de risco da doença.

Deixe uma resposta