De Jong avalia impacto de saída de Messi do Barcelona

Foto: Divulgação

De Jong concedeu entrevista à emissora “NOS” e foi perguntado se a atual situação do Barcelona preocupa. Ele foi até sincero na resposta.

“Não, na verdade estou bem. Eu, claro, acompanho à distância. De fato é um caos, está acontecendo muita coisa”, afirmou.

Como se apresentou à seleção holandesa, De Jong não participou dos treinos desta semana no Barcelona. Ele não se esquivou das perguntas sobe a situação de Messi. Disse que não sabe se o atacante deixará ou não o time catalão, mas foi contundente: se isso ocorrer, será um duro golpe à equipe.

– Se Messi eventualmente sair, isso, claro, será um grande baque não só para o time, mas também para o clube. Eu acho que terá um grande impacto. Mas, claro, é difícil para mim dizer qualquer coisa sobre isso porque eu nem sei se os rumores são verdade, o que o clube quer e o que Messi quer para ele também – avaliou.

De Jong afirmou que, durante a troca no comando do Barcelona, não conversou com Ronald Koeman, seu ex-comandante na Holanda e atual técnico na equipe catalã. Ambos ainda não se encontraram. 

– Eu não ia ligar ou mandar mensagem para perguntar se era verdade (que Koeman assumiria o Barcelona). Acho que ele já tinha e tem coisa demais na cabeça. Eu só falei rápido por telefone, mas quando eu estiver em Barcelona, conversaremos mais. Claro que depende de mim mostrar que preciso jogar.

De Jong e a Holanda estreiam na nova temporada da Liga das Nações na próxima sexta-feira, contra a Polônia. Vice-campeã da última edição, a equipe está no Grupo 1 da Liga A, que também tem Itália e Bósnia.

Deixe uma resposta