Damares diz que, caso condenada, cumprirá pena

Foto: Reprodução

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, disse que está tranquila após o Supremo Tribunal Federal (STF) enviar à Procuradoria-Geral da República (PGR) notícia-crime protocolada contra a ela. A medida é devido à declaração dela, sobre pedir “a prisão de governadores e prefeitos”.

A frase foi dita durante a reunião ministerial do dia 22 de abril, que precedeu a renúncia do ex-ministro Sergio Moro.

“A ministra Cármen Lúcia, tão somente cumprindo sua função, encaminhou à Procuradoria-Geral da República a denúncia-crime que foi apresentada contra mim em virtude de minha fala em reunião reservada entre os ministros e o presidente da República na data de 22 de abril. A ministra Cármen Lúcia está cumprindo o papel dela. É praxe encaminhar a denuncia a PGR, quando se trata de ministros”, disse Damares.

“Se a PGR entender que cometi crime, vou responder uma ação e, se condenada, vou cumprir minha pena, mas garanto a todos que estou tranquila. Tenho a certeza que não cometi crime algum”, concluiu.

Damares justifica a frase se ancorando em dados do Disque 100, canal de denúncias do governo federal.

“Em minha fala durante a reunião registrei, com veemência, que pediria providências e punição aos violadores de direitos e não importava quem fosse o violador, pois, acredito de verdade que todos são iguais perante a lei”, concluiu.

A ministra disse que vai aguardar as decisões do Ministério Público e do Poder Judiciário.

“Se solicitada, vou apresentar minha defesa. Mas com muita calma, serenidade e respeitando as atribuições do Poder Judiciário e do Ministério Público, vamos aguardar trabalhando muito, pois estamos em meio a uma pandemia e temos vidas para salvar”, sinaliza.

Deixe uma resposta