Dado Cavalcanti ressalta poder de reação do Bahia em goleada diante do Campinense

Foto: Leonardo Silva/Futura Press

O Bahia aplicou uma senhora goleada para cima do Campinense, por 7 a 1, em partida disputada na noite desta terça-feira, no estádio Amigão válido pela primeira fase da Copa do Brasil.

Com a classificação para a 2ª fase da competição, o Tricolor agora espera o vencedor de Jaraguá-GO e Manaus, no dia 18 de março.

Apesar do placar elástico, o Bahia foi instável no início do jogo e sofreu um gol. Apesar do vacilo, o técnico Dado Cavalcanti elogiou a tranquilidade que a equipe teve para construir o resultado a favor.

– Tenho tratado dessa forma internamente e externamente. Quem sofreu os gols não foi a defesa do Bahia, é o time do Bahia. Então eu trato muito claramente, de forma sistêmica. Acho que a nossa equipe começou mal o jogo. O início do jogo não foi aquilo que nós esperávamos. Mas nós tivemos também a lucidez e tranquilidade de, ao tomar um gol, não perder a lucidez da partida, não perdemos as rédeas do jogo. Acho que a gente poderia ter começado o jogo melhor, tivemos um pouquinho de dificuldade também no confronto contra o Botafogo-PB. Porém, entendo também que, nesta retomada de temporada, a gente deve também sofrer um pouquinho com essa adaptação aos adversários, a um tipo de jogo um pouquinho diferente – afirmou.

– Não é qualquer time que faz sete gols em um jogo, independente do adversário, das circunstâncias. Lembrando também que nós tomamos um gol. Então tivemos também o mérito de termos a tranquilidade de não perder a cabeça no momento de dificuldade. Viramos o jogo e tivemos o controle total da partida. Isso, sem sombra de dúvidas, me deixa muito feliz – completou.
E a goleada do Bahia passou, sobretudo, pelos pés de Rossi. Em noite inspirada, o atacante marcou três gols e deu uma assistência para Juninho Capixaba.

Como não poderia deixar de ser, ele foi elogiado pelo técnico tricolor.

– Rossi vem passando por um momento de muita confiança. Vem arriscando jogadas e vem sendo decisivo. Isso é bom, contribui com nossa equipe, não só com os gols, mas contagia nosso time dentro de campo. E dentro de campo faz aquelas atuações sempre com muita energia, muita vibração. Isso é positivo demais para contagiar todo o elenco – afirmou.

– Primeiro, era um cara solidário. Depois, passou a ser um cara, além de solidário, comprometido e tático. E, depois, passou a ser um cara decisivo. Mais importante que ele não perca as outras qualidades que o fizeram chegar até aqui. E que a gente consiga utilizar ele da melhor forma possível – analisou.

Deixe uma resposta