Cuca fala sobre relação com Peres e analisa crise do Santos

Foto: Divulgação

O técnico Cuca foi apresentado na tarde desta sexta-feira ao Santos e concedeu entrevista coletiva virtual.

Cuca substitui Jesualdo Ferreira num Santos que vive momento de crise política e com o elenco rachado com a diretoria. Recentemente, dois titulares, o atacante Eduardo Sasha e o goleiro Everson, foram à Justiça pedir rescisão contratual por falta de pagamento.

Além disso, o Santos vive grave problemas financeiros, está impedido de registrar novos jogadores por causa de uma punição na Fifa e ainda acumula diversas dívidas com outros clubes. Cuca falou sobre a situação do clube.

– Hoje é uma situação diferente daquela que cheguei. Hoje, eu chego sabendo dos problemas do Santos. Eu sei das coisas que podem e devem acontecer ao longo do ano. E estou preparado para isso. Eu faço parte dessa engrenagem. De repente, tenhamos que vender um ou outro jogador, mas que não podemos perder a força. Temos de criar alternativas, descobrir jogadores. Não só aqui no profissional, mas lá na base, também, ir ver jogos – disse Cuca.

– Já conversei com o presidente, os vices, tivemos uma conversa muito boa. Esse é meu trabalho. Fazer essa gestão, é ser a pessoa de confiança dos jogadores, não só como treinador, mas como parceiro. Tenho um conhecimento muito grande da maioria dos jogadores. É jogar sempre aberto, limpo com todos eles, porque esse grupo é muito bom. Não pode contratar, mas temos de extrair o máximo e o melhor de cada jogador que aqui tem. Tem jogadores polivalentes, adoro jogador polivalente – emendou o treinador.

Cuca diz que quer conversar com Everson e Eduardo Sasha sobre os processos contra o clube.

– O Sasha e o Everson tiveram imbróglios, problemas. Eu, como treinador, quero saber. Quero conversar com a diretoria. Já conversei com alguns. Quero poder falar com os jogadores, entender alguma coisa. Eu estou zerado. Quero que encham de problema enquanto estou zerado. Se eu puder resolver, quem sabe?

Essa será a terceira passagem de Cuca como treinador no Santos, a segunda na gestão do presidente José Carlos Peres, com quem ele teve diversos atritos à época. Ele falou sobre a relação com o mandatário.

– Os meus problemas que tiveram eram mais em relação ao local do jogo. Eu achava que tinha jogos que podiam ser aqui. Eram problemas pequenos. Sempre tive o máximo respeito pelo presidente, figura máxima. Vai ser bom para mim, também. Preciso fazer um trabalho bom e estou muito determinado para isso. Cada ano que passa é de amadurecimento em todos os sentidos. A gente reflete muitas coisas, entende e sabe que o ser humano só vai sair dessa se for parceiro do próprio ser humano. Estamos todos envolvidos praticamente no mesmo processo, que é essa pandemia. Estou pela primeira vez dando essa entrevista sem ver, só ouvindo. O jogo sem torcida… – explicou o novo treinador do Santos.

Cuca reestreia no Santos contra o Bragantino, neste domingo, às 16h, na Vila Belmiro em jogo válido pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. O contrato é válido até março de 2021.

Deixe uma resposta