Cruzeiro perde para Al-Rayyan e sonho do Bi-Mundial chega ao fim

filipe-theo
(Foto: Divulgação/FIBV)

O alerta havia sido dado pelo técnico Marcelo Mendez. Se o Al-Rayyan jogasse como um time poderia se tornar muito perigoso. Mesmo que as peças só estivessem juntas há cinco dias. A qualidade daqueles jogadores com um pouco mais de entrosamento poderia ser uma pedra no caminho do Cruzeiro. E foi. Nesta sexta-feira, além de derrubar o atual campeão do mundo dentro de sua própria casa, a equipe do Catar pôs fim a uma longa escrita. Impediu que os mineiros chegassem a sua 16ª final consecutiva, ao 13º título e sonhassem com uma temporada perfeita. Até então, Wallace & Cia haviam vencido os outros cinco campeonatos dos quais participaram.

Com a vitória por 3 sets a 1 (21/25, 25/18, 25/21 e 25/18), o Al-Rayyan brigará pelo título do Mundial de Clubes com o Belogorie Belgorod, neste sábado, no Mineirinho, às 19h. O time russo é o atual campeão europeu. O do Catar foi convidado pela Federação Internacional de Vôlei e fez contratos-relâmpago com jogadores como os cubanos Simon e Sanchez, os brasileiros Rapha e Alan, e o búlgaro Kaziyski às vésperas da competição. O Cruzeiro disputará a medalha de bronze com o UPCN da Argentina, às 16h30.

– Estou sonhando. Jogamos com sorriso no rosto e isso fez a diferença. Já estávamos muito felizes de estar aqui, de termos chegado a uma semifinal. Acho que a chave para a vitória foi o saque forte. O que vai acontecer quando voltarmos para o Catar? Acho que vamos ganhar muito dinheiro (risos) – disse o ponteiro Ali Bairami. 

Deixe uma resposta