Cronologia vampírica – Parte I

Arquivo do Horror

Quando o assunto é horror os vampiros são hoje as criaturas de maior popularidade tanto na literatura quanto no cinema.

O simples fato de uma obra trazer em seu enredo as criaturas sugadoras de sangue já atrai a atenção do público, ainda que nem todas sejam voltadas ao horror/terror, e claro que a indústria cinematográfica e literária não deixariam de se aproveitar do assunto, abordando-o quase à exaustão, produzindo bons trabalhos, mas também, muita porcaria.

Interesses financeiros à parte, os vampiros atraem a atenção das pessoas desde os primórdios da civilização e muito se engana quem acredita que e lenda tenha surgido com o livro Drácula, de Bram Stoker, publicado em 1897.

As lendas acerca de criaturas que vagam pela noite em busca de sangue existem em várias civilizações ao redor do mundo, desde tempos antiquíssimos, com pequenas variações entre elas.

Isso nos faz repensar o assunto: sendo essas lendas tão antigas e estando presentes em tão diversas civilizações haveria a possibilidade de os vampiros serem reais e não apenas seres fictícios?

Deixarei para que você tire suas próprias conclusões após analisar o resultado de um estudo que fiz sobre o tema, uma “cronologia vampírica” onde cito acontecimentos (muitos pouco conhecidos) acerca do vampirismo de um modo geral.

Não estou dizendo que eles existem ou não, apenas apresento os fatos.

Esses fatos, inicialmente, estavam mais ligados a eventos históricos, porém, mais recentemente, eles foram mais abordados no cinema e na literatura, havendo, ainda, alguns casos bizarros de pessoas que se consideravam vampiras, cometendo atos tresloucados.

Como o assunto é bastante rico e as menções acerca dele são muitas a lista ficou um pouco extensa, então vou publicá-la em duas partes.

Vamos à primeira.

Vale a pena conferir.

Vampiros - John Carpenter

Cronologia Vampírica.

a.C. – Seres que sobrevivem às custas do sangue humano estão presentes na mitologia dos povos por todo o planeta. Eram conhecidos como Vetãlas, na India, já na Babilônia e na Assíria eram as Lilitu, enquanto para os gregos e os romanos eram chamados de Empusas, Estirges ou Lâmias, já os chineses se referiam a eles por kiang shi, os maias como camazotz, os árabes de alghul e os japoneses de kappa. Na verdade os vampiros são denominados por mais de 650 nomes diferentes.

191 a.C. – A obra “Pseudolus” de Plauto, faz menção à criaturas voadoras que necessitam de sangue para sobreviver.

Século VII a.C. – Aparece a primeira menção à Lilith, no “Alfabeto de Ben-Sira”, sendo ela por muitos considerada como a primeira vampira.

1047 – O primeiro registro da palavra “uppyr” se deu em um manuscrito que se referia a Vladimir Yaroslavovich, príncipe de Novgorod, como “uppyr Lichy”, que significa algo como “vampiro mau” ou “vampiro louco”.

1190 – Na Inglaterra o livro “De Nagis Curialium” de Walter Map inclui contos de vampiros.

1196 – “Crônicas”, do também inglês William de Newburgh, inclui algumas histórias sobre vampiros.

1404 – Nascimento de Gilles de Rais, guerreiro francês acusado de envolvimento com feitiçaria e vampirismo, responsabilizado por mais de 200 mortes.

1431 – Nasce Vlad Tepes, filho de Vlad Dracul, que seria a inspiração para o personagem Drácula, do livro homônimo.

1436 – Vlad Tepes torna-se o príncipe da Valáquia.

1476 – Vlad Dracul falece. Algumas fontes dizem que ele morreu em batalha, outras, que ele foi assassinado, mas o que o tornou famoso foi o fim trágico que dava aos seus inimigos: o empalamento.

1484 – O livro “Malleus Maleficarium”, de Heinrich Kramer e Jacob Sprenger, discute detalhes de como caçar e destruir um vampiro.

1498 – Quando Vasco da Gama chegou ao porto de Quelimane, em Moçambique, se deparou com uma crença local em seres sobrenaturais que durante a noite se alimentavam do sangue de pessoas e animais.

1530 – O cientista italiano Ludovico Fattinelli é queimado na fogueira por sugerir causas biológicas para o vampirismo em seu “Tratado de Vampiros”.

1560 – Nasce Elizabeth Bathory.

1610 – Sob a acusação de ter matado, bebido e se banhado no sangue de centenas de pessoas Bathory é presa e condenada à prisão perpétua.

1614 – Morre Elizabeth Bathory.

1616 – O cientista italiano Ludovico Fatinelli publica um artigo no qual especulou que o vampirismo era causado por um agente patológico microscópico. Ele foi acusado de heresia e queimado na fogueira.

1645 – Leo Allatius finaliza o “De Graecorun hodie quirundam opinativo nabus”, o primeiro tratado do vampiro moderno.

1657 – Fr. Françoise Richard associa o vampirismo à bruxaria quando escreve “Relation de ce s’est passé à Sant-Erini Isle de L’Archipel”.

1666 – Em um pequeno vilarejo da Sérvia, Peter Plogojowitz, após sua morte, aparece para seu filho pedindo-lhe alimento e várias pessoas no vilarejo morrem com sinais de perda de sangue. Seu corpo é exumado e constata-se a presença de sangue fresco em sua boca. Uma estaca é então cravada em seu coração e sua cabeça é decepada, seguindo a antiga tradição local.

1672 – Uma terrível onda de histeria vampírica varre a península de Istra, na hoje conhecida como Croácia.

1679 – Philip Rohr escreve “De Masticatione Mortuorum”, um texto alemão sobre vampiros.

1710 – Onda de histeria vampírica surge na Prússia oriental.

1721 a 1728 – Ocorre uma epidemia de infecções pela raiva em cães e lobos que acabam contaminando algumas pessoas. Os dados clínicos da doença levam as pessoas a acreditarem se tratar de casos de vampirismo.

1725 – Nova onda de histeria vampírica assola a Prússia oriental.

1725 a 1730 – É a vez da Hungria ser tomada pela histeria vampírica.

1725 a 1732 – Surgem os famosos casos vampíricos de Peter Plogojowitz e Arnold Paul que ocasionam a histeria vampírica na Sérvia.

1734 – A palavra “vampyre” entra para a língua inglesa, traduzida de relatos alemães sobre as ondas de histeria vampírica européia.

1744 – O Arcebispo e vampirólogo Giuseppe Antonio Davanzati publica seu tratado “Dissertazione Sopre I Vampiri”.

1746 – Dom Augustin Calmet publica um livro sob o título de “O mundo dos fantasmas”, no qual se inclui um ensaio sobre os vampiros, citado por Benito Jerónimo Feijoo e Voltaire.

1748 – É publicado o primeiro poema moderno de Vampiros, “Der Vampir”, por Heinrich August Ossenfelder.

1750 – Outra onda de histeria vampírica ocorre na Prússia oriental.

1756 – A histeria vampírica atinge seu auge na Valáquia.

1764 – Em “Dictionnaire Philisophique” Voltaire faz referências às calamidades desencadeadas pelas publicações acerca da crença em vampiros.

1772 – A histeria vampírica chega à Rússia.

1797 – Publicado o poema “Bride of Corinth” (A Noiva de Corinto) de Goethe.

1780 – Samuel Taylor Coleridge escreve “Christabel”, considerado hoje como o primeiro poema sobre vampiros na língua inglesa.

1784 – Um texto português introduz o termo na Língua Portuguesa, ainda como vampire, indicando sua origem francesa.

1800 – Em Milão estreia a ópera “I Vampiri” de Silvestro de Palma.

1801 – O poema “Thalaba – The Destroyer”, de Robert Southey, é publicado sendo o primeiro a utilizar o termo “vampyre” na literatura inglesa.

1810 – Surgem relatos vampíricos no norte da Inglaterra e no mesmo ano ocorre a publicação de “The Vampyre“, de John Stagg.

1813 – O poema “The Giaour”, de Lord Byron, menciona o encontro de um herói com um vampiro.

1815 – É registrada pela primeira vez a palavra “vampiro” no idioma português.

1816 – Lord Byron escreve sua obra inacabada “O Enterro” (The Funeral).

1819 – É publicada a primeira história de vampiros na língua inglesa, “The Vampyre”, de John Polidori, na edição de abril da New Monthly magazine. Tal publicação estabeleceu o arquétipo do vampiro sofisticado e carismático.

– No mesmo ano John Keats compõe “Lamia”, um poema calcado em antigas lendas gregas.

1820 – O “Lord Ruthwen” ou “Les Vampires, de Cyprien Berard”, é publicado anonimamente em Paris, em 13 de junho.

– Estreia “Le Vampire”, a peça de Charles Nodier, em Paris.

– Em agosto: “The Vampire: or the Bridge of the Isles”, uma tradução da peça de James R. Planché, estreia em Londres.

1829 – Em março a ópera de Heinrich Marshner, “Der Vampyr”, baseada na história de Nodier, estreia em Leipzig, Alemanha.

1830 – Ao longo dessa década Edgar Allan Poe escreve três contos que abordam, ainda que indiretamente, o tema do vampiro feminino: “Berenice”, “Morela” e Ligeia”.

1836 – Gautier escreve “A Morte Amorosa”, onde se vale, também, da temática vampírica.

1841 – Alexey Tolstói publica seu conto, “Upyr”, quando morava em Paris. É a primeira história moderna sobre vampiros escrita por um russo.

1845 – Começa a longa seriação de “Varney the Vampire” de James Malcolm Rymer.

Bram Stoker

Bram Stoker – autor de Drácula

1847 – Nasce Bram Stoker.

– A obra “Varney the Vampire” é lançada como um livro de 876 páginas.

1851 – Estreia em Paris a última obra dramática de Alexandre Dumas, “Le Vampire”.

1854 – Chega aos jornais locais o caso do vampiro na família Ray, em Jewett, Connecticut.

1857 – Charles Baudelaire publica “As Flores do Mal”, obra que entre seus poemas está incluído “As Metamorfoses do Vampiro”.

1864 – A obra espírita “O Evangelho Segundo o Espiritismo” de Allan Kardec aborda o vampirismo através de uma visão espiritual e energética, sem a necessidade do consumo de sangue.

1865 – Publicado em Paris o “Infernal Dictionarie” sobre bruxas, demônios, magia e com uma seção inteira voltada aos vampiros.

1872 – Vincenzo Verzeni, na Itália, é condenado por assassinar duas pessoas e por beber seu sangue.

– Sheridan Le Fanu escreve “Carmilla”.

1874 – Relatos de Ceven, na Irlanda, informam casos de vampiros em que ovelhas tiveram seus pescoços cortados e seu sangue drenado.

1880 – Sir Arthur Conan Doyle, publica uma aventura de Sherlock Holmes conhecida como “A Vampira de Sussex e Outras Aventuras”.

1886 – Na França, Henry Blot é condenado a somente dois anos de prisão por violação de túmulos, embora tenha confessado que bebia o sangue das vítimas para sobreviver. Assim que cumpriu a pena ele desapareceu.

1888 – Publicado o “Land Beyond the Forest”, de Emily Gerard, que se tornará a fonte principal de informações sobre a Transilvânia para o livro “Drácula”, de Bram Stoker.

1892 – Morre Mercy Brown, aos 19 anos, um dos casos mais famosos de suspeita de vampirismo registrado dos Estados Unidos. Seu pai, dois meses após ela falecer, remove-a do caixão, retira-lhe o coração e o queima, estando certo da condição sobrenatural da filha.

1894 – O conto de H. G. Wells, “The Flowering of the Strange Orchid”, é o precursor das histórias de ficção científica sobre vampiros.

1897 – “Drácula”, de Bram Stoker, é publicado em Londres.

– “The Vampire”, de Rudyard Kipling, se torna uma inspiração para a criação do vampiro como um personagem estereotipado no palco e na tela.

1909 – Lançado o primeiro filme sobre vampiros: “Vampire of the Coast”, ainda mudo.

1911 – O romancista ítalo-americano Francis Marion Crawford escreve “For the Blood is the Life”.

– Henriqueta Martí, a “vampira de Barcelona” é presa sob a acusação de matar pelo menos doze vítimas e beber seu sangue. Foi assassinada em sua cela no ano seguinte.

1912 – É produzido “The Secret of House N° 5”, na Grã-Bretanha.

1913 – “Drácula’s Guest”, de Bram Stoker, é publicado.

1914 – Lançado o filme “Vampires of the Night”.

1916 – O filme “The Kiss of a Vampire” é lançado.

1919 – Montague Rhodes pública “An Episode of Cathedral History”.

1920 – Embora não existam cópias, é produzido na Rússia “Drácula”, o primeiro filme baseado no livro homônimo.

1921 – Cineastas húngaros produzem uma versão de “Drácula”.

1922 – “Nosferatu”, dirigido por F. W. Murnau, é produzido pela Prana Films, embora visivelmente inspirado na obra “Drácula”, o nome do protagonista é Orlok, que aparece no filme por apenas nove minutos.

1924 – A versão de Drácula para o palco, de Hamilton Deane, estreia na Inglaterra.

– Fritz Haarmann, de Hanover, Alemanha, é preso, julgado e condenado por matar mais de vinte pessoas numa orgia criminal vampírica.

– Sherlock Holmes tem seu único encontro com um vampiro em “The Adventure of the Sussex Vampire”.

1927 – Em 14 de fevereiro a versão teatral de Drácula estreia no Little Theater, em Londres.

– Já em outubro a versão americana de Drácula, interpretado por Bela Lugosi, estreia no Fulton Theater de New York.

– Tod Browning dirige “London After Midnight Lon Chaney”, o primeiro longa-metragem sobre vampiros.

1928 – A primeira edição do influente trabalho de Montague Summers, “The Vampire: His Kith and Kin”, aparece na Inglaterra.

1929 – O segundo livro de Montague Summers, “The Vampire in Europe”, é publicado.

1931 – Em janeiro acontece a avant-première da versão espanhola de “Drácula” e em fevereiro a versão americana para o cinema, “Drácula”, com Bela Lugosi, estreia no Roxy Theater, em New York.

– Na Alemanha Peter Kürten, de Dusseldorf, é executado após ser julgado culpado de assassinar várias pessoas alegando ser um vampiro.

1932 – Lançado o altamente aclamado filme “Vampyr”, dirigido por Carl Theodor Dreyer.

1936 – É lançado o filme “Drácula’s Daughter” (A Filha de Drácula), pela Universal Pictures.

1942 – Publicada “Asylum”, de A. E. Van Vogt, a primeira história sobre um vampiro alienígena.

1943 – A Universal Pictures lança “Son of Dracula” (O Filho de Drácula) com Lon Chansey Jr. interpretando o conde.

1944 – John Carradine interpreta Drácula pela primeira vez em “Horror of Frankenstein”.

– Chega também às telas “O Retorno do Vampiro”, também protagonizado por Bella Lugosi.

1945 – Lançado “The House of Dracula”, onde o mestre dos vampiros contracena com criaturas como o lobisomem e o Frankenstein. O papel do Conde fica a cargo de John Carradine.

1949 – É executado à forca, aos 40 anos, o inglês John George Haig por matar nove pessoas e beber seu sangue. Desde a infância ele mutilava seus próprios dedos para obter o que ele chamava de “alimento”.

1953 – “Drakula Istanbula”, um filme turco adaptado de Drácula, é lançado.

– “Eerie N° 8” inclui a primeira história em quadrinhos adaptada de Drácula.

1954 – O código das histórias em quadrinhos bane os vampiros.

– “I Am Legend” de Richard Matheson, apresenta o vampirismo como uma doença que altera o corpo humano.

1956 – John Carradine interpreta Drácula na primeira adaptação para a televisão no programa Matinee Theater.

– Também é lançado o primeiro filme japonês sobre vampiros, “Kyuketsuki Ga”.

1957 – O primeiro filme italiano sobre Vampiros, “I Vampiri”, é lançado.

– O produtor americano Roger Corman faz o primeiro filme de ficção científica sobre vampiros, “Not of This Earth”.

– É lançado o primeiro filme mexicano sobre vampiros, “El Vampiro”, com German Robles.

1958 – Christopher Lee interpreta Drácula pela primeira vez no filme “O Vampiro da Noite”.

– A Hammer Films, da Grã-Bretanha, reacende o interesse pelos vampiros com o seu primeiro filme sobre Drácula, lançado nos Estados Unidos como “The Horror of Drácula”.

– O primeiro número de “Famous Monsters of Filmland” mostra um novo interesse pelos filmes de horror nos Estados Unidos.

1959 – “Plan 9 From Outer Space” é o último filme de Bela Lugosi.

Confira na próxima semana o final da cronologia, desde o ano 1960 até a atualidade.

@oscarmendesf / Site oficial do autor

Mande e-mail para o colunista: oscarmendes@bastidoresdainformacao.com.br