Crise do covid-19 não impede que tucanos paralisem obras da saúde em São Paulo

Obras do UPA de Parelheiros abandonadas. Foto: Flaviane Fernandes – Expresso Sul

Oito unidades de saúde estão com obras paradas na capital paulista. São seis UPAs, uma UBS e um hospital municipal.

As desculpas da prefeitura de São Paulo são sempre às mesmas. Ou é o processo de licitação e contratação impedem que as unidades estejam atendendo a população, ou manutenção.

Na região da Brasilândia, zona norte, comunidade com 81 mortes pelo novo coronavírus até a quinta-feira passada, o hospital municipal opera parcialmente aberto. Em março, foram entregues 150 leitos. No total a estrutura deve contar, quando pronta, com 305 leitos.

Em relação as UPAs com obras paralisadas, três são da zona sul. Em Jabaquara, Parelheiros e Vila Mariana. Há também as unidades de Cidade Tiradentes, na zona leste, City Jaraguá e Mooca, na zona norte.

Contudo, às obras da UPA de Parelheiros está abandonada desde 2015, na gestão Fernando Haddad, PT. A região ganhou um hospital, mas evidentemente que a UPA seria mais uma boa alternativa para o povo da região.

Somando às regiões citadas com obras abandonadas dos UPAs e UBS, o número total de mortes é de 201. 

Já a UBS de Campo Belo não tem data prevista para entregar à população. O bairro até o momento tem 24 mortes por coronavírus.

Deixe uma resposta