Cozinheira detona Fátima Bernardes e William Bonner; saiba o motivo

Foto: Divulgação

Léa Silva, cozinheira que trabalhou na casa de Fátima Bernardes e William Bonner, disse que o choro da apresentadora durante o Encontro não foi verdadeiro. Silva também afirmou em um vídeo, que Bonner foi grosseiro quando ela salvou o filho do ex-casal de se queimar na cozinha.

Léa gravou as imagens depois de assistir a entrevista de Fátima com Mirtes Renata Souza, mãe do garoto Miguel. A apresentadora chorou enquanto a empregada doméstica falava sobre o filho, que morreu após ser deixado pela patroa, Sari Corte Real, sozinho no elevador.

“Vendo a Fátima entrevistar a mãe do Miguel, vi ela chorando, fazendo caras e bocas… Fiquei aqui pensando: será que ela lembra que eu, que era cozinheira dela, salvei o filho dela de ser queimado? Acho que ela não lembra”, falou.

Ela disse que, depois do incidente, solicitou que Bonner pusesse uma barreira na porta da cozinha, mas o jornalista não foi educado com ela após o pedido.

“Podia ter deixado o garoto se queimar todo. Pelo contrário, só recebi desaforo do marido dela. Ele se viu ofendido, achou que eu chamei o filho dele de cachorro, porque eu pedi pra colocar uma portinhola na cozinha”, contou.

“Então eu, a pessoa que é preta, podia ter deixado o filho da patroa se ferrar, mas não. Eu atravessei na frente da panela pro Vinícius não se queimar. Os dois mal-agradecidos. Não esqueci não, viu, dona Fátima e seu William Bonner. Vocês, em vez de agradecer, simplesmente cagaram pra o que eu falei, entendeu?”, afirmou.

“Hoje eu vendo o Vinícius já um homem, adulto, fico olhando pra cara dele e falo: ‘Bonito… Podia estar todo queimado’. Uma pena que seus pais não deram valor para o que eu fiz. Aí vi você chorando, lembrei disso. Soou um pouco falso seu choro na matéria”, concluiu.

Deixe uma resposta