Copa Do Mundo: No sufoco, Alemanha vence Argélia na prorrogação e segue na Copa

Argelia-Alemanha-Muller-Stollarz-AFP_LANIMA20140630_0188_25
(Foto: Patrik Stollarz/ AFP)

A partida começou de forma surpreendente. Se todos esperavam um jogo em que a Alemanha fosse dominar com tranquilidade, os argelinos trataram de acabar com isso. Os germânicos tomaram a iniciativa de buscar o ataque, mas a Argélia saía muito rápido nos contra-ataques e por muito pouco o atacante Slimani não ficou em ótima condição para marcar, mas Neuer, quase como um “líbero”, afastou o perigo.

Na velocidade, com as descidas rápidas de Feghouli e Soudani, os argelinos levaram perigo em outras oportunidades. O gol até chegou a sair, mas foi bem anulado pela trio brasileiro, já que Slimani estava impedido. Com o passar do tempo, a Alemanha colocou a bola no chão e na qualidade técnica conseguiu equilibrar o jogo. No fim da primeira etapa, a equipe chegou bem e por pouco não balançou as redes do goleiro M’Bolhi.

A segunda etapa começou com um ritmo muito forte imposto pelas duas equipes. Löw tirou Götze e colocou Schürrle, fortalecendo o lado direito alemão. Os germânicos tomaram a iniciativa e foi para cima, mas assim como no primeiro tempo, sofria com os contra-ataques em alta velocidade da Argélia. Nos 15 primeiros minutos, os goleiros Neuer e M’Bolhi brilharam, com intervenções que impediram que o placar fosse modificado.

Como era de se esperar, o ritmo do jogo caiu, mas as chances continuaram aparecendo. E pelos dois lados. O cansaço foi chegando, mas os goleiros das duas seleções continuaram brilhando. Neuer e M’Bolhi fizeram pelo menos duas belas defesas cada um. Na reta final, os argelinos esperaram mais e a Alemanha continuou tentando, mas a bola teimou em não entrar.

Na prorrogação, a Alemanha conseguiu fazer em um minuto o que não tinha feito durante todo o jogo: o gol. Na jogada característica desse time, Müller foi ao fundo na esquerda e cruzou, a bola pipocou, passou por baixo da perna do zagueiro argelino e chegou em Schürrle, que mesmo pegando mal, balançou as redes.

Depois desse gol, os papéis se inverteram. A Argélia teve que ir para o ataque buscar o empate e a Alemanha buscava, nos contra-ataques, matar o jogo. Com o desgaste, o time argelino foi demonstrando muito cansaço e os alemães só administraram o resultado. No fim, Özil ainda marcou o gol que garantiu a Alemanha entre as oito melhores do mundo. Um minuto depois, Djabou ainda teve tempo para diminuir, mas o gol de honra não foi suficiente.

Deixe uma resposta