Copa Do Mundo: Com dois gols de James Rodrigues, Colômbia vence Uruguai e enfrenta o Brasil nas Quartas

cavani_uruguai_andredurao_95
(Foto: André Durão / Globoesporte.com)

Como em todos os jogos na fase de grupos, o Uruguai começou retraído, povoando o meio de campo e deixando o adversário chegar para sair no contra-ataque. Sem Suárez, porém, a responsabilidade de puxá-los ficou com Rodríguez, que também é veloz, mas tem capacidade técnica muito menor. O veterano Forlán, substituto de Luisito, ficava enfurnado na área e voltava pouco, deixando Cavani com o dever de recuar para ajudar na recomposição.

A Colômbia, porém, desequilibrou os uruguaios desde o começo com a velocidade de seus meias. A dupla Cuadrado e Zúñiga infernizava a vida de Alvaro Pereira pela direita do ataque colombiano. James tinha lberdade para cair pelos flancos e chegar pelo meio. Foi em frente à zaga uruguaia que ele marcou um golaço, talvez o mais bonito da Copa. De costas para o gol, ele matou a bola no peito e, sem deixá-la cair, soltou uma bomba que escapou das mãos de Muslera. O gol obrigou o Uruguai a sair mais para o jogo. Cavani teve uma chance em cobrança de falta e Rodríguez obrigou Ospina a fazer boa defesa. E no primeiro tempo foi só.

Na segunda etapa, a Colômbia seguiu neutralizando o adversário e deu o golpe de misericórdia logo aos quatro minutos. Pablo Armero, que além de  coreografista das celebrações de gol com o famoso “Armeration” é peça importante do esquema de José Pekerman, cruzou no segundo pau para Cuadrado. O lateral/meia da Fiorentina teve grande senso de posicionamento, ao perceber a chegada de James pelo meio e dando um toquinho de cabeça para o camisa 10 completar para o gol.

Com o 2 a 0, o Uruguai abriu a caixa de ferramentas e começou a distribuir botinadas. A primeira vítima foi James, que levou uma calçada de Lugano. Depois foi Cuadrado, “levantado” por Arévalo Ríos. Cebolla Rodríguez fez o Uruguai voltar a jogar bola e obrigou Ospina a nova grande defesa. Tabárez tirou Forlán e Alvaro Pereira para colocar o time para frente. Vendo que seu time só dependia de Cebolla, também escalou o grandalhão Abel Hernández. A Colômbia relaxou e permitiu que os uruguaios crescessem o suficiente para dar alguns sustos na torcida que pintou o Maracanã de amarelo. Mas foi só. Cafeteros classificados e no caminho do Brasil.

Deixe uma resposta