Compulsão na Quarentena – Psicóloga fala sobre o assunto

Por Ellen Moraes Senra

Muito me preocupa o aumento dos relatos de pessoas que adquiriram alguma compulsão durante a quarentena, seja de comida, de sexo, de exercícios físicos, de compras, isso sem falarmos do aumento da improdutividade, insatisfação e sensação de tédio constantes.

Sabemos que desde março as coisas não estão nada fáceis e que os impactos da quarentena surgiriam com força total. Talvez o nosso equívoco tenha sido pensar que iríamos parar nos quadros ansiosos e que não teríamos tantos meses de isolamento e/ou restrição para nos fazer passear por tantas emoções distintas.

Ainda assim, me pego me questionando o porquê de tanto adoecimento, visto que a procura pelos serviços de psicologia nunca foi tão alta, o que nos leva a perceber o quanto o ser humano precisa de sua liberdade de ir e vir, mas também o quanto muitos não conseguem viver em sua própria companhia ou na companhia dos seus familiares.

Hoje estamos na fase de um afrouxamento, onde já é possível dar pequenos passos, mesmo que a recomendação central seja ainda nos mantermos em casa o tanto quanto possível, fora as regras que, apesar de incômodas, são de fato para a nossa proteção.

De qualquer maneira, a palavra afrouxamento nos traz uma suposta sensação de retomada de controle, mesmo que os alertas de segurança em saúde continuem por nos manter seguros e por nos lembrar que, na prática, não temos controle algum.

             “Do que queremos fugir ao nos confrontarmos com tamanha compulsão?”

Daí, mais um questionamento: do que queremos fugir ao nos confrontarmos com tamanha compulsão? E o pior, como iremos lidar com os efeitos disso tudo após a pandemia?

Sim, pois o que mais percebo nessa fase do afrouxamento são pessoas querendo reparar danos; talvez seja uma maneira de pensar que podem retomar o controle, mas quem sabe o que mais essas compulsões escondem?

Fato é que precisamos com urgência buscar identificar o cerne do problema e tentar resolvê-los de maneira assertiva, pois pode ser que ao passar a quarentena você tenha um problema mais permanente do que esperava e, como sempre costumo dizer, é mais fácil prevenir a doença do que tratá-la.

Cuide de sua saúde enquanto é tempo!

Quem é Ellen Moraes Senra?

Ellen Moraes Senra é psicóloga, palestrante, escritora e professora universitária. Escreve livros para todas as faixas etárias, assim como também para o público negro, sempre com a proposta de que o diálogo, o autoconhecimento e o autoamor são as bases para a felicidade tanto consigo mesmo, quanto com as demais relações a serem construídas na vida.

Dentre suas obras estão “Autoamor: um caminho para a autoestima e regulação emocional feminina”, “A Psicologia e a Essência da Negritude” e “Feiurinha Sabe tudo”. Também é colunista do Jornal Empoderado, da Revista Statto e do Programa Em Destaque, com o quadro “Olhar para Si”. Saiba mais em @psicologaellensenra.

 

Deixe uma resposta