Irreverente, República das Calcinhas mostra o “Brasil escondido” e arranca aplausos da plateia

A nova ministra faz seu pronunciamento de posse / Foto: Isabella Coco - BDI
A nova ministra faz seu pronunciamento de posse / Foto: Isabella Coco – BDI

Estreou na noite desta sexta-feira (12) na comemoração de 60 anos do Teatro Maria Della Costa, em São Paulo, a peça República das Calcinhas, escrita e dirigida por James Akel.

No elenco as atrizes Dede Simonini, Marcella Villagran, Julia de Freitas e Ana Paula Pavão desempenham os papéis de filha, secretária, sobrinha e amante do presidente da república.

Famosos como Marcos Hummel e Domingos Meirelles compareceram na estreia da peça. / Foto: Lucas Canosa - BDI
Famosos como Marcos Hummel e Domingos Meirelles compareceram na estreia da peça. / Foto: Lucas Canosa – BDI

O início é marcado pelo diálogo entre as mulheres que cercam a vida do personagem de Akel e uma secretaria abusada e atrapalhada que faz confusões sempre que possível. É monótono, porém essencial para o entendimento da peça, que começa a ganhar corpo com a chegada de Andressa Urach na pele da humilde vendedora de livros, confundida com a sobrinha de um coronel influente nas decisões presidenciáveis que seria nomeada ministra da economia. Posto isso, a loira ganhou o cargo e exibiu o corpão no palco ao tirar a roupa do trabalho para colocar um vestido justo e sexy.

Andressa Urach em ação / Foto: Ronaldo Barreto - BDI
Andressa Urach e Marcella Villagran em ação / Foto: Ronaldo Barreto – BDI

Pouco depois, o corrupto, porém carismático presidente regressa à sua casa e enfesta o público de comparações engraçadas de seu país, a República dos Bananais com o Brasil. James, com uma longa carreira artística era o mais solto em palco. Por diversas vezes, riu de suas próprias falas. Se divertiu. E a plateia adorou suas afirmações desbocadas e o “arquivo de projetos”, uma lata de lixo. Depois do espetáculo, perguntado sobre suas percepções, ele foi contido  “Estou satisfeito. Elas são ótimas, mas ainda vamos melhorar muito”, ponderou.

Urach, assim como todas as outras meninas, entrou nervosa em sua estreia no palco, gaguejou, mas pouco depois, mais segura, mostrou que sabe atuar. “Ela é ótima. Criou falas próprias e tem um futuro brilhante. É a nova Dercy Gonçalves”, declarou o diretor.

James desceu ao hall do teatro para conversar com o público / Foto: Ronaldo Barreto - BDI
James desceu ao hall do teatro para conversar com o público / Foto: Ronaldo Barreto – BDI

Andressa só não foi o destaque porque Marcella Villagran deu um verdadeiro show no papel da assanhada secretaria. Entretanto, pareceu feliz com o resultado e discursou no fim da atração “Estudei muito para virar atriz. Foram muitos anos de dedicação. Não vou ficar com a imagem de ex-vice miss-bumbum e “cuspideira a vida toda”, confessou.

Júlia, no papel de sobrinha e Ana Paula, como amante do presidente, eram os cérebros da peça com manobras inteligentes para exitarem em seus objetivos. Dede, era a filha bem treinada do presidente, e, igualmente corrupta, procura um jeito de beneficiar a si, e a seu pai em esquemas de desvios de verbas milionários. 

Todos os atores, naturalmente, começaram tensos, contudo é necessário ressaltar que não houve briga de egos. Ninguém atropelou o colega. Ninguém quis se aparecer mais do que estava no script, e, aos poucos, todos demonstraram seu valor. De forma irreverente, trata-se, claramente de uma denúncia à atual política do Brasil, banhada em corrupção. No fim, aplausos de pé, e a certeza que valeu a pena o passeio.

Serviço:

Peça: República das Calcinhas

Recomendação: 16 anos

Valor: R$ 60 (inteira) / R$ 30 (meia)

Teatro Maria Della Costa: Rua Paim, 72 – Bela Vista, São Paulo – SP

Sextas, às 21:30 e aos sábados, às 19:30.

@LucasCanosa – BDI

Mande seu e-mail para Lucas Canosa : lucascanosa@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta