Com direito a duas virada, Atlético/MG vence Lanús e conquista a Recopa

diegotardelli2_ap
(Foto: AP)

O jogo mal começou e o Atlético mostrou que o Mineirão também pode ser seu Independência. Com pouco mais de cinco minutos, pênalti para o time mineiro. Contrariando o que seria a lógica, a torcida não viu Ronaldinho Gaúcho partir para a bola, mas assistiu Diego Tardelli marcar seu 100º gol com a camisa alvinegra. Liderança atleticana que esquentou ainda mais o Gigante da Pampulha, mas que esfriou um pouco após o vacilo do sistema defensivo e o gol de Ayala. Em boa trama do time argentino, o meia teve liberdade para entrar na área e bater forte para empatar a partida.

O gol de empate animou os argentinos, que aumentaram a posse de bola e exploraram bastante as jogadas pela diagonal, buscando principalmente Santiago Silva dentro da área. A proposta pouco dava campo ao time da casa, deixando o Atlético mais preso e sem conseguir ficar com o rebote.

Ainda antes de meia hora de jogo, o Galo já não pressionava como nos momentos iniciais, perdendo muito a posse de bola e demonstrando nervosismo em alguns lances de falta e passes errados. Aos 25 minutos, em mais uma bola alçada na área, a zaga deu bobeira, Victor salvou a finalização à meia altura, mas Santiago Silva pegou o rebote dentro da pequena área para virar o jogo.

A virada argentina pareceu acordar um pouco o time de Levir. Ainda pecando defensivamente, o Atlético se mostrou mais disposto nas descidas ao ataque, embora sem perigo ao gol de Marchesín. Quando tudo parecia encaminhar para um intervalo em desvantagem, Marcos Rocha acertou o cruzamento pela direita, a zaga argentina não acertou o bote e Maicosuel empatou para o Galo. Ainda antes dos 45 minutos iniciais terminarem, o Galo quase marcaria o terceiro, em outro cruzamento, agora pela esquerda, de Emerson Conceição e cabeçada perigosa de Jô. Marchesín salvou.

Acoado, o Atlético passou a se defender nos minutos finais, gerando momentos de tensão para a torcida. Os quatro minutos de acréscimos demoraram a passar e não terminaram nada bem. Aos 48 minutos, Acosta marcou o gol que deu esperança ao time de Buenos Aires e decretou a prorrogação no Gigante da Pampulha.

A prorrogação começou com o Galo mais pragmático e a torcida temendo o pior. Em um dos poucos lances de ataque, no entanto, Luan balançou as redes em uma jogada quase perdida. O ‘doidinho’ recebeu de Guilherme, buscou o cruzamento para Jô dentro da área e contou com o desvio da zaga para recolocar o Atlético em igualdade e novamente com a mão na taça.

Diferente do segundo tempo, não foi preciso contar os minutos para acabar o jogo. Faltando menos de dez minutos para o fim, uma bola atrasada de cabeça enganou o goleiro Marchesín e fez a festa da Massa Atleticana. Nova virada do Galo e início da festa pelo título inédito da Recopa Sul-Americana.

 

Deixe uma resposta