Clube de SC registra B.O. contra presidente do Andraus

Foto: Divulgação

O goleiro do Inter de Lages, Neto Volpi, recebeu uma proposta para sofrer dois gols por R$ 15 mil. Fred Nelson de Oliveira Marques, presidente do Andraus, clube da segunda divisão do Campeonato Paranaense, foi o autor do aliciamento.

Na tarde da última quinta-feira, Cristopher Nunes, mandatário do Leão Baio, registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil. De acordo com Giovani Nunes, gerente de futebol do time da Serra, Fred procurou Neto Volpi um dia antes dizendo que precisava falar com o atleta. O assunto era “bom e do interesse”, segundo ele. Pensando ser alguma proposta para atuar no segundo semestre, Neto seguiu a conversa com o dirigente.

“Nosso goleiro recebeu algumas ligações perguntando se poderia conversar. Ele disse que poderia, mas não sabia do que se tratava. O Neto achou que era proposta para jogar em outro clube. Depois veio mensagem por Whats App do Fred, que é o presidente do Andraus. Ele é um ex-jogador. Fomos descobrir que era ele depois de toda a situação. Ele começou a mandar mensagem e, em um certo momento, chega a ser bem claro. Ele fala em ganhar dinheiro juntos, mas que era um assunto muito delicado. Aí ele abriu o jogo, falou que o Neto ganharia R$ 15 mil se tomasse dois gols do Joinville.
Na hora o Neto falou: “Não, não. Não faço isso, vai prejudicar minha carreira. Eu não faço isso”. Quando o Neto disse isso ele falou que estava tudo certo e pediu para apagar as mensagens. Mas aí o Neto não apagou e nos procurou. Fomos da delegacia. A partir de agora isso vai ser investigado”, contou.

O Joinville se pronunciou por meio de nota e negou envolvimento.

“O Joinville Esporte Clube nega qualquer envolvimento com a suposta tentativa de negociação para o goleiro Neto Volpi, do Internacional de Lages, sofrer propositalmente dois gols no jogo deste sábado, contra o JEC. O clube também nega conhecer os senhores Fred e Diogo Braga, citados no boletim de ocorrência registrado pelo presidente do Inter, Cristopher Nunes, nesta semana. De qualquer forma, lamentamos que no futebol ainda existam pessoas que ignoram o espírito esportivo para se beneficiar com atitudes ilícitas, como apostadores que tentam comprar o resultado de um jogo, por exemplo. Por fim, o Joinville se coloca à disposição para demais esclarecimentos”, dizia a publicação do JEC.

 

Foto: Divulgação

Márcio Schutz, delegado da 2ª DP de Lages, afirmou que o processo está na fase inicial de apuração e pode ser enquadrado no artigo 41-D do Estatuto do Torcedor, que trata de “dar ou prometer vantagem patrimonial ou não patrimonial com o fim de alterar ou falsear o resultado de uma competição desportiva”. A pena é de dois a seis anos de prisão, além de multa.

“O registro foi feito ontem (quinta-feira) e está sendo aberto o procedimento para apurar. Foi apenas instaurado o inquérito, está em fase de apuração. Não há nada ainda”, explicou.

Deixe uma resposta