Chatô, o filme, estreia depois de duas décadas

tres poderes 3

Não poderia deixar de citar o tão esperado filme, Chatô: o rei do Brasil, da obra de Fernando Morais e direção de Guilherme Fontes. O longa-metragem demorou duas décadas para ser lançado e com ele vieram muitos problemas, processuais e financeiros, mas isso não vem ao caso. A cinebiografia teve a estreia neste mês de novembro, tem duração de uma hora e quarenta e dois minutos e está em algumas salas de cinema do país. Particularmente, ainda não assisti, mas li a obra de Morais e achei fascinante. A história do nordestino arretado para ser contada em um filme é muito pouco, ela se adequava em uma minissérie, pois poderia ser mostrada em semanas. 

A biografia do jornalista- político- advogado- escritor é fascinante e merece ser conhecida para quem não tem nem ideia da importância de quem seja. 

cartaz guilherme-fontes

A sua história começa como jornalista e advogado. Soube se projetar na sociedade, virou magnata e dono dos maiores jornais do Brasil. Foi o primeiro a inserir uma agência de notícias, tornou- se  senador e teve uma cadeira na Academia Brasileira de Letras (ABL). 

Em seu círculo de amigos, estavam os principais artistas da Semana da Arte Moderna de 22, teve a ideia de fazer o MASP, trazer a primeira emissora de televisão para o país etc. Quer saber mais?  

Vou dividir em partes as principais conquistas, curiosidades, macetes e revoluções que esse homem gerou no Brasil e reflete até hoje.  

 

QUEM É ASSIS CHATEAUBRIAND? 

chato de chapeu

Nascido em Umbuzeiro, na Paraíba, em 1892, Assis Chateaubriand Bandeira de Melo se tornou jornalista, advogado, empresário, escritor, político e até mecenas. Admirado por muitos e odiado por outros, Chatô sacudiu a sua época que reflete até os dias de hoje. Irreverente, continua atual. Batalhador, desde jovem começa a trabalhar como jornalista nos jornal Gazeta do Norte, aos 15 anos em Recife, Pernambuco. Na mesma época, entra para a Faculdade de Direito do Recife, depois passa a ministrar aulas.  

Em 1917, muda- se para o Rio de Janeiro, trabalha no Jornal da Manhã onde conhece pessoas influentes como políticos, empresários, artistas e intelectuais.  Já em 1924, Chatô compra o primeiro impresso, O Jornal, esse é o início de um império chamado Diários Associados

Até a próxima semana. 

Está curioso? Assista a um vídeo raro da inauguração da TV Tupi em 1950. Infelizmente sem áudio, mas valeu o registro. 

Inauguração da TV Tupi em 1950 

 

Três Poderes, toda quinta-feira, às 13h, no BDI.

Mande seu e-mail para a colunista : anamarcia@bastidoresdainformacao.com.br

 

Deixe uma resposta