CBF sofre críticas sem fundamentos

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Muitos jornalistas estão criticando na grande mídia a presidência da CBF, pelo fato de sua cúpula ter deixado o elenco da Seleção e sua Comissão Técnica sozinhos na concentração.

Estes mesmos jornalistas dizem que os jogadores estão com a emoção abalada e que os dirigentes os deixaram na mão.

Mas a atitude do comando da CBF está certa em deixar o elenco da Seleção sozinho.

O que ficou nítido nos jogos é que embora até a abertura da Copa todo o elenco e Comissão Técnica estivessem entrosados e com excelente ambiente de trabalho entre si, depois do começo da Copa os jogadores tiveram um abalo emocional.

Eu poderia aqui falar sobre inúmeros motivos pra tal situação, poderia citar os mais variados nomes de psicólogos e suas proposições, dar exemplos e tudo mais.

Mas o fato é que alguns abalos emocionais nem tem lógica de ser em muitas das vezes.

Toda época de treinamento foi a mais amistosa possível e ninguém teve aparente trauma do que quer que fosse.

Então não tinha motivo algum aparente acontecer esta mexida emocional no grupo de pessoas.

Repito que o comando da CBF fez muito bem em se afastar da concentração.

Se estivessem ali, os mesmo jornalistas diriam que eles nada tinham a fazer ali e apenas atrapalhariam.

Ao se afastar de maneira adequada o comando é criticado por jornalistas que escrevem que o comando abandonou os meninos.

Nenhum brasileiro pode se dizer sério se torcer contra a Seleção.

Mas todos os jogadores podem sim ter desempenho abaixo das esperanças.

Nem seria a primeira vez.

O nível de exigência dos brasileiros é muito maior que o de outros povos.

O Chile foi um excelente time e o Brasil ganhou e não importa o jeito que foi.

Os jogadores tem agora que ficar entre si pra se acertarem em grupo e nenhuma pessoa do comando vai mudar isto.

A psicóloga chamada pode sim ajudar, não na maneira de textos de panfleto psicológico mas sim com o trabalho competente que ela é capaz pelo seu histórico de trabalho.

Antes da Copa de 70 no México, existiu também um detalhe emocional que estava mexendo com o grupo e uma palestra realizada para os jogadores lá no México foi fundamental pra ensinar aos nossos jogadores como funciona a mente da pessoa e o jeito de se ajustar a isto e transformar a ansiedade e emoção em ação positiva.

Na mesma Copa de 70, ao chegar aos estádio da final, o grande Pelé entrou no vestiário e teve uma crise de choro.

Chorou até nem poder mais, tomou uma ducha, foi acolhido por Carlos Alberto e Gerson, depois entrou no estádio e fez sua melhor performance de sua história na grande vitória da final que deu ao Brasil o Tri.

Toda a mídia, todos os jornalistas dos outros países, quer os que escrevem ou os que narram, nenhum deles fez divulgação negativa de seus jogadores e seleções.

Apenas os jornalistas brasileiros, infelizmente, começaram uma estranha campanha contra nosso time brasileiro.

O Chile foi derrotado pelo Brasil e foi recebido no Chile com elogios pela imprensa e até pela presidente daquele país que fez questão de receber e elogiar o time.

A imprensa brasileira é a mais feroz do mundo, tudo bem durante todo tempo, mas na época de Copa do Mundo, somos todos brasileiros.

Aliás, deveríamos ser.

Mande seu e-mail para James Akel : jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta