Bolsonaro participa da abertura de fórum econômico com países árabes

Presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta segunda-feira (19), que o Brasil pretende estreitar ainda mais as relações com os países árabes. A afirmação foi feita na abertura do Fórum Econômico Brasil e Países Árabes, que ocorre até a próxima quinta-feira (22), de forma virtual.

“Pretendemos continuar a estreitar os laços históricos, culturais e de amizade que une os nossos povos. Também queremos aproveitar o enorme potencial que ainda há para ser explorado nos mais diversos setores e abrir novas frentes de diálogo, cooperação e trabalho pela prosperidade das nossas nações”, disse.

O Presidente destacou o crescente comércio entre o Brasil e os países árabes. “Apesar da distância entre nossas regiões, o intercâmbio entre o Brasil e os países árabes superou a cifra de US$ 11 bilhões no ano passado. Tenho certeza de que podemos aproveitar a moderna infraestrutura dos países do golfo para diversificar e expandir o acesso dos produtos brasileiros aos mercados da Ásia”, afirmou.

As exportações brasileiras para os 22 países membros da liga árabe abrangem uma ampla gama de produtos, com destaque para o agronegócio. “Entre janeiro e agosto de 2020, essas exportações totalizaram US$ 4,6 bilhões, portanto, em apenas oito meses deste ano, e, apesar das restrições impostas pela Covid-19, já estamos próximos de alcançar o valor exportado em 2019 que foi de US$ 4,9 bilhões”, relatou.

De acordo com o Presidente, “os países árabes podem contar com o Brasil como parceiro estratégico na garantia de sua segurança alimentar”. O Chefe de Estado brasileiro lembrou que, no ano passado, fez uma visita aos Emirados Árabes Unidos, Catar e Arábia Saudita. Ele citou que países como Catar, Emirados Árabes e Kuwait investem no Brasil aproximadamente US$ 4 bilhões a US$ 5 bilhões por ano e o trabalho é para que esse número seja multiplicado.

Durante o discurso de abertura da conferência, o Presidente ressaltou que as relações econômicas entre os países podem se aperfeiçoar ainda mais. “Estamos prontos a estabelecer novas frentes de diálogo e de colaboração a fim de estabelecermos marcos regulatórios capazes de aprimorar ainda mais os investimentos entre o Brasil e os países árabes”, finalizou.

Deixe uma resposta