Bairro é autorizado a reabrir pela metade em São Paulo

Foto: Divulgação

Dividido entre as cidades de Itaquaquecetuba, Poá e Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, Cidade Kemel, distrito do Itaim Paulista, em São Paulo, está cortado ao meio por duas fases da quarentena decretada pelo governo do estado por conta da Covid-19.

A avenida Kemel Addas, tem sido o símbolo dessa divisão. De um lado da via, comércios como bares, restaurantes e salões de beleza estão autorizados a reabrir, mas, do outro, devem permanecer fechados.

Na parte que pertence à capital, o Plano São Paulo prevê a fase amarela, que permite uma reabertura mais flexível do comércio e dos serviços desde segunda-feira (6).

No caso da área que pertence aos municípios do Alto Tietê, a fase é a laranja, mais restritiva, e que permite que apenas grandes estabelecimentos, como shoppings, voltem a funcionar dentro de limites.

“Isso aí é tiração, né? Quer dizer que o coronavírus não atravessa a rua?”, questiona Gustavo Correia, 25, na parte do bairro pertencente a Poá.

“Enquanto lá for proibido, eu atravesso a rua e venho cortar o cabelo aqui”, brinca.

Para completar, o governo do estado sugeriu que uma das cidades, Itaquaquecetuba, volte a ter uma quarentena mais rigorosa, na fase vermelha. Se a situação for adotada, o Kemel terá de viver três tipos de quarentena oficialmente.

Itaquaquecetuba mantinha taxa de ocupação de UTIs de 95% até o começo desta semana. O índice é um dos principais critérios para entender se haverá reabertura.

Deixe uma resposta