Avianca é condenada por afastar funcionária acima do peso

A juíza do Trabalho Yara Campos Souto, da 8ª Vara do Trabalho de Guarulhos , condenou a Avianca Brasil a pagar R$ 15 mil por danos morais a uma comissária de bordo, que teria sido afastada do trabalho por duas vezes ao ser considerada “acima do peso”. A decisão cabe recurso.

“Não se pode olvidar ainda o especial impacto de tais exigências [quanto ao peso] nas trabalhadoras mulheres, em relação às quais a exigência de um padrão estético é ainda mais intensa, aprofundando a desigualdade de gênero já tão presente no mercado de trabalho”, afirma Yara em sua sentença.
“Tais estereótipos, contudo, não podem mais prevalecer, tampouco guiar condutas patronais, em uma sociedade que se pretende justa e igualitária”, completa a juíza.

No manual da Avianca, consta a seguinte expressão sobre a proporção entre peso e altura: “O excesso de peso afeta a estética e pode ser considerado como falta de cuidado pessoal e da empresa. A não observância do exposto acima, e, em casos extremos, a chefia de comissários poderá solicitar a escala para manter o comissário afastado do voo e orientá-lo para que procure um adequado tratamento, com prazo determinado”.

No mês passado, foi decretada a falência da empresa, que ainda pode apresentar a relação dos seus ativos para tentar reverter o quadro.

Deixe uma resposta