Após denúncia, torcedores são banidos por gritos homofóbicos contra árbitro

Foto: BBC
Foto: BBC

Duas pessoas foram punidas duramente em um jogo de rúgbi, na Inglaterra. Com gritos homofóbicos se referindo ao árbitro Nigel Owens, durante uma partida entre Inglaterra e Nova Zelândia, os torcedores foram denunciados por outro que estava na arquibancada e estão proibidos de entrar em estádios por dois anos.

A punição aplicada pela Federação Inglesa de Rúgbi envolve ainda uma multa de mil libras (aproximadamente 4 mil reais). Em entrevista à BBC, Owens, que é o primeiro árbitro assumidamente gay a alcançar a elite do rúgbi, destaca que o problema, se não for coibido agora, pode se tornar maior. “É importante acabar com isso desde já, para que não se torne um grande problema para o rúgbi no futuro”, disse.

Ian Ritchie, presidente da Federação, avisou que a entidade irá combater este tipo de ato. “Coisas desse tipo são excepcionalmente raras, mas a Federação leva os valores de trabalho em equipe, respeito, disciplina e espírito esportivo muito a sério e está determinada a mantê-los no esporte”, declarou.

Gritos de “veado” ou “bicha” são comuns em outros esportes, como no futebol brasileiro, mas, ao contrário  do que aconteceu na Inglaterra, por aqui não há notícia de punição a quem pratica o ato.

Deixe uma resposta