Aliados de Dória não aprovaram ida do governador aos EUA

Foto: Divulgação

A viagem do governador de São Paulo, João Doria para Miami foi considerada erro grave até entre aliados. Auxiliares afirmam nos bastidores que o resultado de Covid-19 de Rodrigo Garcia (DEM-SP) foi uma justificativa pública, mas que o governador voltaria ao Brasil de todo jeito pela péssima repercussão que teve a ida aos EUA. Para políticos próximos de Doria, o episódio enfraquece o contraponto que fez a Bolsonaro na pandemia e mostra que, se quiser manter planos para 2022, não poderá escorregar.

Doria e sua mulher conseguiram entrar nos EUA com passaportes diplomáticos. Voos para o país estão proibidos para brasileiros. Eles viajaram de avião comercial, sem gastos públicos.

Auxiliares afirmam que havia consenso de que o governador merecia os dez dias de licença por ter trabalhado ininterruptamente desde o início da pandemia, mas que a ideia da ida a Miami não foi correto.

Dória ia, além de descansar, dar duas palestras “sobre oportunidades de investimentos no Estado e o Plano de Retomada Econômica de São Paulo”.

A equipe do tucano disse ainda que “diante da notícia de que o vice-governador Rodrigo Garcia havia se contaminado com a Covid-19, Doria decidiu voltar a São Paulo”.

Deixe uma resposta