Aécio conquista apoio informal do PMDB no Rio de Janeiro

Aécio Neves discursa entre os presidentes estaduais do PMDB, Jorge Picciani (à esq.), e do PP, Francisco Dornelles (à dir.) (Foto: Marcos Arcoverde/Estadão Conteúdo)
Aécio Neves discursa entre os presidentes estaduais do PMDB, Jorge Picciani (à esq.), e do PP, Francisco Dornelles (à dir.) (Foto: Marcos Arcoverde/Estadão Conteúdo)

Durante um ato público do PMDB realizado nesta quinta-feira (5) no Rio de Janeiro, Jorce Picciani declarou apoio informal do partido ao pré-candidato à Presidência da República, Aécio Neves.

Picciani pediu engajamento de prefeitos e negou que haja um racha político entre seu grupo e o do ex-governador Sérgio Cabral, que apoia a presidente Dilma dentro do PMDB “Já reconhecíamos no Aécio o melhor para o Brasil. Mas estávamos presos a uma aliança política. A partir do momento em que o PT rachou, me senti à vontade de fazer o que a maioria do PMDB do Rio queria. Não diria que [o PMDB] está rachado. Há um expressiva maioria que apoia Aécio e Pezão. Eu diria que a chapa Aezão está consagrada aqui no Rio”, disse.

O movimento “Aezão”, em favor do senador tucano e de Luiz Fernando Pezão foi lançado sob presença de 60 prefeitos e 500 vereadores. O candidato ao governo carioca, apesar da campanha, não foi ao evento e reafirmou seu apoio a Dilma Roussef em entrevista à rádio CBN “Esse movimento [‘Aezão’] vai existir. Eu, Sérgio Cabral e Eduardo Paes reafirmamos apoio à presidente Dilma. Admiro muito o Aécio, vai dar trabalho. Mas estou com a Dilma”, disse o governador.

 

Deixe uma resposta