Advogados de Lula são acusados de liderar desvios no Sistema S

Foto: Ricardo Stuckert

Na manhã desta quarta-feira, 9/9, a Polícia Federal deflagrou operação para investigar um suposto esquema de tráfico de influência no TCU TCU (Tribunal de Contas da União) e no STJ (Superior Tribunal de Justiça), com desvio de recursos do Sistema S. Entre os alvos, constam os advogados do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin e Roberto Teixeira.

Zanin e Teixeira são acusados, pela investigação, de liderar o esquema. Ambos já se tornaram réus. Outro investigado é o advogado Frederick Wassef, ex-defensor da família do presidente Jair Bolsonaro, sob suspeita de peculato e lavagem de dinheiro.

Os agentes da Polícia Federal também fazem buscas, autorizadas por Marcelo Bretas -responsável pela Operação Lava Jato – no Rio de Janeiro em escritórios de parentes de ministros do TCU e do STJ em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.
O Ministério Público Federal concluiu que os denunciados desviaram R$ 151 milhões do Sistema S. O esquema teria começado em 2011, após o Conselho Fiscal do Sesc Nacional detectar uma série de irregularidades durante a gestão de Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomércio, Sesc Rio e Senac Rio e delator do caso. Na ocasião, o órgão era comandado por Carlos Eduardo Gabas, ex-ministro das gestões Lula e Dilma Rousseff.

Deixe uma resposta