“Achei que não fosse entregar”, diz analista de sistemas após conquistar sexto troféu do “MasterChef”

O analista de sistemas Heitor, de 29 anos, foi eleito o melhor cozinheiro do sexto episódio do MasterChef na noite dessa terça-feira (18). Mesmo depois de ter perdido 15 minutos para elaborar seu prato devido à vantagem de Giovanna, que venceu o primeiro desafio e pôde diminuir a duração de prova de três adversários, o cozinheiro se destacou ao preparar um camarão ao molho aromático tailandês em apenas 30 minutos. “Acredito que tenho um bom tempero e me preparei para estar aqui. Sabia que tinha chances e estou muito feliz, mas estava preocupado. Como foram poucos minutos, achei que não fosse entregar e que não estava bom o suficiente”, contou em entrevista ao Portal da Band.

Nascido e criado em Campinas, no interior de São Paulo, o participante aprendeu a cozinhar com a mãe ainda na infância. No entanto, a paixão pela gastronomia foi aflorada quando passou dez meses morando na Nova Zelândia. “Lá, trabalhei na cozinha de um restaurante lavando louça e, apesar de não ter muita abertura para outras tarefas, consegui acompanhar mais de perto o trabalho dos chefs”, explicou.

No primeiro desafio, o jovem teve um bom desempenho ao preparar uma maniçoba para a cantora Pabllo Vittar, mas foi na segunda prova que ele realmente conquistou o paladar de Paola Carosella, Henrique Fogaça e Erick Jacquin.

Após o resultado satisfatório, Heitor sonha em abrir um restaurante com receitas autorais. “Gosto de fazer tudo o que é salgado, em especial carnes. Quando vou preparar algo, leio quatro receitas diferentes e faço do meu jeito. Às vezes fica excelente, em outras vezes não dá tão certo”, admitiu. “Sou um cara humano, justo e good vibes. Quero transmitir isso nos pratos e conciliar ingredientes brasileiros com técnicas que aprendi fora”, concluiu ele, que já viajou para 26 países.

Além de conquistar o troféu mais cobiçado da culinária brasileira, o competidor ganhou R$ 5 mil do PicPay e doou a mesma quantia para a instituição Mães de Maria, da comunidade de Paraisópolis, em São Paulo, que tem como objetivo capacitar profissionalmente mulheres vítimas de violência através do trabalho gastronômico. Ele ainda foi premiado com uma bolsa de estudos integral para graduação ou pós-graduação da Universidade Estácio, um dispositivo Echo e R$ 5 mil em compras no site amazon.com.br. A Brastemp também deu ao campeão um forno da linha Gourmand, digno de um chef, e a Tramontina ofereceu um jogo de panelas profissional e um Kit Chef de facas.

Deixe uma resposta