Abel Braga rebate declarações de vice do Flamengo, BAP e irá processa-lo

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

O vice-presidente de relações externas do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista, o BAP, criticou frases de Abel Braga durante a passagem do técnico pela Gávea em entrevista ao canal “Ser Flamengo”. Neste domingo, o treinador rebateu as declarações do dirigente.

 “A gente achava e discutia que ele deveria estar de sacanagem. A gente pensava: ‘Ou ele bebeu, ou estava drogado’. Não é possível que ele esteja falando o que está falando. Falar que o Beira-Rio é mais bonito que o Maracanã, falar que perder é normal”.

Abel Braga lamentou as declarações de BAP. O treinador disse que o dirigente é arrogante e não merecia estar à frente de um clube como o Flamengo: “Que Deus perdoe essas pessoas ruins”.

Confira na íntegra a nota divulgada por Abel:

“Decepção e, talvez, uma outra palavra pode ser usada nessa circunstância: desespero. O cara que me contratou, sabe-se lá por qual motivo, resolveu falar coisas muito fortes a meu respeito um ano depois. Tenho uma vida no futebol. As críticas em relação ao trabalho fazem parte da profissão. Temos que saber assimilar, tirar proveito disso tudo e nos tornar profissionais melhores. Mas partir para o lado pessoal, destilando palavras graves e sem qualquer sentido, é muito sério. Pessoas arrogantes assim não mereciam estar à frente de um clube como o Flamengo.

Talvez por isso seja tão rejeitado lá dentro. Entendo até que tenha falado isso para ganhar holofote. Perdeu muito espaço no clube e ficou à sombra do Marcos Braz, o principal responsável pelas contratações e conquistas. Vitórias e derrotas fazem parte desse universo.

Procuro sempre absorver as adversidades e aprendizados que a profissão me traz. Sem deixar de ser verdadeiro, levantando sempre a bandeira da transparência, do meu caráter formado e moldado há décadas no mundo do futebol. Disso nunca abrirei mão. Fico perplexo que pessoas como este cidadão ainda tenham trânsito nesse nosso meio. Que Deus perdoe essas pessoas ruins. Mas vamos resolver isso. Ele terá que repetir tudo que disse na Justiça.”

Deixe uma resposta