A solução da reforma agrária

Foto: Ricardo Stuckert
Foto: Ricardo Stuckert

O ministro da reforma agrária começou falando bobagem questionando o direito de propriedade privada.

O MST existe porque logo no seu começo o socialista Fernando Henrique permitiu que o MST se fortalecesse recebendo verbas do governo através de ONGs, igual acontece hoje.

Se Fernando Henrique não fosse tão socialista e o MST não teria corpo no seu governo.

Quando Lula entrou o MST já era bem montado e disposto a guerrilha urbana.

O MST sobrevive da baderna e do projeto de comunismo.

O Brasil não precisaria ter ninguém sem trabalhar no campo se liberasse a lei trabalhista do campo e permitisse que os trabalhadores das fazendas pudessem usufruir de moradia sem custos mas também sem que a moradia fosse agregada aos direitos trabalhistas e indenizatórios.

São muitas as fazendas que tem casas de colonos vazias porque não podem deixar o trabalhador de graça ali pra não gerar custo trabalhista.

O mesmo aconteceu recentemente com as empregadas domésticas quando as sindicalistas comunistas conquistaram uma lei que gera custos trabalhistas pra empregadores que tem empregadas que dormem em casa.

O resultado foi desemprego em massa de domésticas que dormiam nos empregos e passaram a morar em favelas.

Os trabalhadores do campo depois da lei trabalhista que agregava custos aos fazendeiros passaram a morar em favelas e só lhes era permitida a entrada na fazenda em épocas determinadas.

Se voltar o tempo antigo em que os fazendeiros possam permitir a moradia sem encargos dos trabalhadores, haverá menos favela e mais vida saudável além de muito mais emprego estável nas fazendas brasileiras.

MST é o que de pior pode existir num Brasil sério que trabalha e desenvolve os trabalhadores.

Mande seu e-mail para James Akel : jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta