A realidade dos índices do IBOPE

Foto: Divulgação TV Gazeta
Foto: Divulgação TV Gazeta

Jamais falei mal do Ibope mesmo porque eu gostava muito quando durante quatro anos de minha vida tive um programa na TV Record que era líder de ibope duas noites da semana.

Jamais poderia colocar em dúvida a honestidade de tal empresa.

O que eu sempre critiquei foi a pouca amostragem de 700 televisores em um universo de 7 milhões.

Então aconteceu a eleição de presidente e os números ficaram bem diferentes da pesquisa até a realidade.

Eu entendo que a margem de erro numa pesquisa é grande e sempre foi.

Por isto acho que TV Record e SBT ficarem brigando cada uma dizendo que é vice de ibope por centésimos não leva a nada.

As duas estão no mesmo patamar.

A única que é indiscutível na média do mês é a TV Globo.

Existe aí um erro de algumas agências de propaganda que dão um valor excessivo ao ibope em detalhes que são discutíveis.

Vejam que situação engraçada das emissoras.

A TV Globo tem um bocado mais que o dobro do ibope da TV Record e SBT mas fatura mais que 10 vezes o SBT e umas 8 vezes o que fatura a TV Record.

O SBT tem o dobro do ibope que tem a TV Band mas fatura quase igual.

Isto demonstra que o ibope nem está diretamente ligado ao faturamento das emissoras.

Deve ser entendido como referência ao invés de fator determinando de anunciante.

O próprio programa da Cátia Fonseca na TV Gazeta nem tem grande ibope mas tem faturamento que gente com mais ibope nem tem.

Mande seu e-mail para James Akel : jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta