A lamentável atitude da CBF

neymar-brasil-palmas_efe

Em 1962, Garrincha foi injustamente expulso de um jogo da semi-final da Copa do Mundo no Chile.
Mas naquele ano a CBD, antigo nome da CBF, tinha um time extraordinário e um chefe de delegação de verdade que se chamava Paulo Machado de Carvalho, que tanto conheci pessoalmente e que era meu chefe na TV Record.
Paulo Machado de Carvalho fez tudo que podia e mais um pouco pra evitar que Garrincha ficasse de fora da final.
E todos nós soubemos o quanto Garrincha foi importante na final.
Mas o velho Paulo era um líder de verdade, um líder natural, amado por todos que trabalhavam com ele.
E tinha uma experiência de vida incrível, além de uma simplicidade inacreditável pra alguém com o poder que ele tinha.
E o velho Paulo foi a campo e decidiu a final ao conseguir, não importa de que jeito, que Garrincha disputasse o último jogo e o Brasil ganhasse a Copa.
Passam-se os anos, no mesmo Chile e Neymar foi expulso.
Cadê o chefe da delegação pra fazer algo?
Uai, o chefe da delegação, João Dória Jr, estava no Brasil cuidando de negócios particulares.
O presidente da CBF estava no Brasil com medo de ser preso no Chile.
Mas tem outra diferença.
Em 1962 o velho Paulo Machado de Carvalho lutou pra manter em campo Garrincha.
Em 2015 não tinha ninguém pra manter em campo Neymar.

Mande seu e-mail para James Akel : jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta