A falta de carisma no novo programa do SBT

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Sei que a palavra carisma é subjetiva.

Mas sei também que ela existe e significa o jeito que define o perfil de uma atração pelo povo que vê o programa da emissora.

E é exatamente neste tom que vamos mostrar o motivo pelo qual a boa produção do programa de gastronomia do SBT não atrai do mesmo modo que o programa Masterchef da TV Band.

A versão brasileira do Hells Kitchen no SBT carece de um chef de cozinha que seja tão personalizado e déspota quanto o chef do programa original.

A graça do Hells Kitchen está exatamente na personalidade do chef e não no cenário ou na produção.

O Hells do SBT tem produção boa e edição idem mas carece de comando.

Não vou citar o nome do chef , que aliás é um grande chef brasileiro, pra não personalizar o comentário.

O chef brasileiro é bastante simpático, coisa que não poderia ser no programa.

E quando ele tenta fazer cara de mau nem convence.

O chef brasileiro é muito simpático, pessoa de bom caráter e até delicado nas suas atitudes.

Tudo ao contrário do que é o original que teve sucesso na tv a cabo.

Se era pra fazer um chef bonzinho então que se fizesse um novo programa sem se basear no Hells que tem seu fundamento na grossura do chef daquele programa.

Mande seu e-mail para James Akel : jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta