A estranha postura do presidente da Câmara Municipal de São Paulo

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O presidente da Câmara Municipal de São Paulo, vereador petista José Américo, determinou o encerramento do contrato que a Câmara tinha com a FUNDAC, que administrava a TV Câmara desde 2008.

Algumas coisas ficaram estanhas num caso destes.

O contrato terminaria dia 10 de dezembro, ou seja, apenas 2 meses depois da determinação de encerramento de contrato.

Por que não esperar dois meses até o final?

Desde 2008 os serviços prestados foram aprovados e pagos pontualmente.

Com o rompimento do atual contrato, a Câmara assinou contrato de gestão com uma fundação, se não me engano de nome Fapetec, por um valor bem superior ao contrato anterior, gerando uma despesa a mais de 240 mil ao mês superior ao contrato que existia com a FUNDAC.

O detalhe curioso é que a Fapetec deve fazer o mesmo trabalho de gestão que era feito pela FUNDAC com os mesmos funcionários com o mesmo equipamento.

Uai, se é pra fazer o mesmo trabalho com mesmos funcionários, não se entende pra que pagar mais caro.

A FUNDAC foi pra Justiça e ganhou liminar na Justiça.

Embora ganha a liminar por votação de 23 a 0 pelos desembargadores, o presidente da Câmara José Américo não cumpriu a liminar que garante a permanência da FUNDAC até o final do contrato.

Resta saber se o Tribunal de Justiça vai ficar quieto e permitir que sua decisão não seja cumprida, num desrespeito à Corte ou vai tomar providências mais sérias sobre o assunto e sobre o presidente da Câmara por sua atitude.

Mande seu e-mail para James Akel : jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta